Salve Jorge!


Não, não! O texto não é sobre a nova novela da Rede Globo.
Não, não! O texto também não é sobre o santo guerreiro da Capadócia.
Este texto (leia desabafo) é uma crônica sobre um acontecimento que ocorreu no show do Seu Jorge, neste sábado (27/10/2012). E o que aconteceu definitivamente precisava e precisa ser relatado de uma forma bem abrangente, as palavras clamam por liberdade dentro de mim; é a agonia do escritor que só cessará após o último ponto final.
Para que o nobre leitor se ambiente com o que será relatado, primeiramente é preciso dizer que o show ocorreu na Fundição Progresso, uma conceituada casa de shows da Lapa, Rio de Janeiro; e por volta de 01h00min da madrugada de domingo, o grande DJ CIA se posicionou na sua pickup, que ficava no centro do palco, e começou a discotecagem para animar o público.
Como sempre o CIA foi impecável, tocou alguns clássicos da black music mundial, e deixou a plateia no ponto para receber a grande atração da noite: Seu Jorge.
Depois de 15 minutos de DJ CIA, Seu Jorge entrou no palco, o próprio CIA também continuou onde estava, e o show seguiu.
Tudo estava indo muito bem, Seu Jorge dançava e cantava como se fosse o seu primeiro show, e todos estavam curtindo.
A alegria do artista era compreensível, ele que é um cantor que viaja muito pelo mundo, estava fazendo um show no seu país e na sua cidade, ou seja, estava em casa.
E por incrível que pareça, praticamente no meio do show, a própria casa, ou parte dela, o apunhalou.
Agora que começa verdadeiramente o texto, agora é que virá o assunto que dividiu o show em duas partes. E eu vou confessar: to puto até agora.
Pra quem não sabe - e pelo visto muita gente que estava presente no show não sabia – a apresentação do Seu Jorge tem alguns momentos temáticos, ou seja, em determinado momento ele canta uma sequencia mais romântica, em outra mais dançante, e temos também uma sequencia politizada/protesto, com a música “zé do caroço”, seguida da declamação de “negro drama”, dos Racionais mc’s.
Antes de qualquer coisa, é preciso dizer que Seu Jorge tem muita autonomia para declamar “negro drama” em um palco, pois um cara que morou na rua, passou fome, sofreu preconceito, e hoje é o que é mundialmente, tanto quanto músico, como ator, tem SIM muita propriedade para se intitular um negro drama, afinal de contas... Dinheiro, problemas, inveja, luxo, fama.
Enquanto Seu Jorge declamava com muita paixão os versos de “negro drama”, parte da plateia começou a vaiar, pois é, vaiar! Antes de continuar eu só gostaria de fazer um questionamento: o que leva uma pessoa a pagar R$60,00 no show de um artista, e posteriormente vaiá-lo? Pois esse foi o meu questionamento imediato na hora, depois vieram muitos outros, mas enfim...
As vaias não intimidaram Seu Jorge, que prosseguiu firme como o seu homônimo santo da Capadócia.
Quando a declamação chegou na parte do Brown, as vaias já eram bem mais expressivas, alguns até vociferavam um coro de: “canta, canta, canta!” Dando a entender que todo aquele recital negro já estava ferindo os tímpanos de alguns acéfalos – racistas talvez – que só queriam cantar e dançar, apenas isso. Talvez uma declamação de “branco drama” soasse melhor naquele momento, talvez não houvesse a vaia, talvez. Mas como não existe tal poesia, eu só posso ficar no talvez.
Eu estava no show com a minha companheira, meu compadre e minha comadre, e todos nós ficamos profundamente chateados e estarrecidos com o que estava acontecendo, afinal de contas, aquelas vaiais ecoavam vários significados: preconceito, ignorância, intolerância, alienação e etecetera e tal. E isso tudo em pleno 2012. E tem gente que ainda acha que o ser humano evoluiu alguma coisa.
Após declamar “negro drama” por completo, as luzes do palco se apagaram, Seu Jorge se calou por alguns instantes, e ao acender das luzes o artista já estava visivelmente abatido, porém não se curvou, e discursou palavras parecidas com estas:
- “Quando eu toco na França eles falam muito bem do Brasil, lá eles falam que se você for branco, bonito e tiver uma faculdade, o Brasil é o lugar para ir. Portanto, vocês que são brancos, bonitos, possuem uma faculdade e o papai dá tudo, aproveitem, pois tem alguém de olho no emprego de vocês.”
Em meio a aplausos e vaias ele continuou...
- “Essa música ‘negro drama’ tem muito significado pra mim, e nos meus shows ela vem seguida de ‘zé do caroço’. Vivemos em um país onde a maioria das pessoas luta pra caramba e permanece na miséria, um país onde a classe trabalhadora não é respeitada, e tudo isso tem que ser dito”.
E teve mais (dá-lhe Jorge!)...
- “Joaquim Barbosa lavava o chão do lugar onde hoje ele é ministro chefe, um cara negro, que nasceu pobre, estudou em escola pública, e hoje é o que é, hoje fez o que fez, o cara bateu na cabeça dos políticos, condenou muita gente, mesmo que não dê em nada ele fez o seu papel, condenou, em um país onde não se condena político ele foi lá e fez, tinha que ser um negão pra fazer um bagulho desses.”
Seu Jorge falou mais algumas coisas que não me lembro, até porque minha mente estava em profunda ebulição, era muita informação e emoção para um momento só.
Bom, depois de tudo isso, depois de todo esse desabafo do artista, eu nem preciso dizer que o clima da casa mudou totalmente, e como eu escrevi antes, o show ficou dividido em duas partes: antes de “negro drama” / depois de “negro drama”. Que simbologia poética isso, hein.
Logo depois desse marcante fato, Seu Jorge generosamente chamou uma convidada no seu palco, e fez questão de dizer que ela cantava uma onda diferente da dele, mas que era para todos ouvirem, pois a cantora era de qualidade, e de fato era – se bem que no Brasil isso não tem grande valia.
A cantora era de São Paulo, se chamava Cris Oak, e cantou Jazz. E quando eu pensei que os ânimos iriam ficar mais amenos, eis que no meio da música da convidada, as vaias voltaram, e a ignorância cultural do público aflorou outra vez. Talvez se o convidado fosse um Michel Teló, com seus hits dançantes, as coisas fossem diferentes, mas como era um Jazz, e pouca gente sabe apreciar isso, ainda mais no Brasil, a cantora foi obrigada a ouvir algumas vaiais também. Certamente essas vaiais ainda faziam parte da insatisfação dos ouvintes que ficaram profundamente ofendidos com a declamação de “negro drama”.
Depois de tudo isso, Seu Jorge voltou a “cantar”- e eu coloquei com aspas, pois o artista não foi mais o mesmo, e nem deveria ser!
Seu Jorge passou a “cantar” com total descompromisso, não dançava mais, e geralmente ficava parado em algum canto, com um braço cruzado nas costas, enquanto o outro segurava o microfone, tudo isso nitidamente sem ânimo algum.
Logicamente que ninguém é obrigado a gostar de nada, mas as pessoas precisam aprender a ter respeito, e foi isso que faltou no show. Muita gente certamente não gostou da declamação de “negro drama”, tudo bem, é um direito, mas chegar ao ponto de vaiar soa muito radical e preconceituoso sim! Até porque depois disso ele fez um discurso bem fundo nos problemas do Brasil, tanto em questões raciais, quanto sociais, e aquilo pareceu ter ferido ainda mais os tímpanos de alguns, pois como diz na própria música que causou toda a discórdia: “periferias, vielas e cortiços, você deve tá pensando, o que você tem a ver com isso”.
E enquanto a sociedade brasileira achar que não tem nada a ver com o problema do menos favorecido, as coisas nunca irão progredir de fato, pois a história do Brasil nos mostra isso. E certamente esse foi o pensamento de muitos no show.
Os sentimentos preconceituosos estavam tão evidenciados, que eu consegui ler as mentes. Sabe aquela nuvenzinha branca das animações que relatam os pensamentos? Pois então, elas estavam visíveis para mim, a maioria tinha o seguinte texto: “porra, que é que esse negão tá falando aí no palco, eu quero ouvir música, quero entretenimento, foda-se o problema do preto, do pobre, eu quero dançar”.
E com estes pensamentos retrógrados, todos nós seguimos dançando a mesma música: a da ignorância. Ignorância que cega e individualiza os seres cercados em seus condomínios. Ignorância que vaia o artista que discursa sobre os problemas de um país, dando a entender que todos nós vivemos as mil maravilhas. A ignorância sempre foi, e sempre será um dos maiores problemas do brasileiro, e engana-se quem pensa que ignorância tem a ver com pobreza ou grau de instrução, tem muita gente com a conta bancária lotada de cifras, com diploma não sei da onde, que é totalmente ignorante em diversos aspectos.
Como diria uma boa cozinheira: “o bolo desandou”. Essa foi a frase que passou a definir o show do Seu Jorge depois de declamar “negro drama”.
Confesso que depois desse show eu fiquei muito mais fã do artista e da pessoa Jorge Mário da Silva. E também consegui ficar muito mais descrente com a população do meu país, pois a mesma mergulha em uma falta de cultura profunda, eu tenho até medo de ver onde isso vai parar. As pessoas não sabem mais o que ouvem, não sabem mais a origem de nada, querem tudo mastigado, não pesquisam nada, não respeitam nada, não questionam nada, e lutam apenas por um bem individual, e nunca coletivo; esse é o perfil do cidadão brasileiro padrão, um cidadão omisso, que não conhece a sua real cultura. Um cidadão hipócrita, que tem coragem de fazer passeata durante o dia, vestido de branco, enquanto a noite, ele briga na rua após tomar uma simples fechada no trânsito.
É preciso repensar o nível de imbecilidade, intolerância e ignorância que o nosso povo chegou, não sei se isso tem volta ou remédio, o meu pessimismo diz que dias piores virão.
Enquanto isso, só me resta relatar o cotidiano, poetizar as revoltas e os sentimentos de um mundo cada vez mais sem sentimento, que é habitado por seres que não aprenderam a apreciar uma verdadeira arte.
Só me resta terminar esta crônica com uma frase dita pelo próprio Seu Jorge, em meio a todo tumulto: “Viva a alienação carioca!” Embora eu saiba que este mal possui esferas que vão muito além de terras cariocas, infelizmente.
Ah, só pra constar: histórias, registros, escritos, não é conto nem fábula, lenda ou mito.


Bruno Rico.






224 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   1 – 200 de 224   Recentes›   Mais recentes»
Nando Tau disse...

Foda! Parabéns pelos sempre bom, inteligentes e bem escritos textos!

Mahatma PJL disse...

Lamentável, Brunão, realmente lamentável, eu sinceramente, nem tenho palavras para expressar a frustração, horror e nojo dessa atitude. Eu nunca pensei que isso viesse acontecer com um artista tão renomado mundialmente, tão forte no próprio país, vi que o sentimento reacionário e racista não tem limites quando se vêem acoado pela verdade do dia a dia e vale tudo para não aprender que só no plural que iremos chegar em algum lugar.

Parabéns, meu nobre amigo, parabéns pelas palavras e pela justa revolta. Esse sentimento eu compartilho e compartilharei contigo sempre.

Lamento profundamente e um Salve à Seu Jorge, aí é mais um retrato fiel do negro drama.

Cezar disse...

Belo relato porém triste, a uns dias ou meses atrás, numa ação promocional da Ford, Seu Jorge fez o mesmo show na Lapa.. aberto ao público...Na hora que recitou .. rs ... o público que na sua grande maioria não deve ter ido ao show da Fundição $$$ ( me inclua nessa)... Recitou ou tentou acompanhar o que Negro Drama diz.. No fim aplausos antes de começar Zé do Caroço. Deixa eles ... os franceses estão chegando aí .. rs Abs Fica com Deus !!

critico disse...

é como o nosso digno escritor falou,viva michel teló,gustavo lima,mais não só esses e sim toda essa cultura de subterfujos que nos impregnam,mais quando aparece alguem que é um artista de fato e direito,pois foi mendigo,pobre e ainda é preto,esse não tem valor de dissecar suas memórias e seus fatos,pois a imença massa plena de uma cultura podre e falida,não dá o direito de um brasileiro que tem respeito mundial,poder fazer criticas em versos que elaboram um pouco do que foi sua vida,SALVE JORGE,não o dá capadocia,mais aquele JORGE,preto pobre e mendigo do meier,do RIO de JANEIRO e do BRASIL,ainda que o BRASIL,não saiba salvar os JORGES que dele fazem parte.

Wagner Oliveira disse...

Eu estava no show com a minha namorada... Na hora que as pessoas começaram a vaiar e a gritar "canta, canta, canta..." eu me senti mal, com vergonha daquilo que estava acontecendo... Foi lamentável... As pessoas são sem noção! Ficou nítido a tristeza do Seu Jorge... Logo no país dele, na cidade dele...
Fiquei profundamente irritado com isso.

Parabéns pelo texto amigo.

Claudinh@ disse...

parabéns pelo texto e coragem, não devemos silenciar!!!

Letícia Santanna disse...

Bruno, parabéns por explodir teu sentimento. Eu chorei de nojo de toda aquela gente babaca e alienada no show. Ensaiei escrever alguma coisa também. Mas achei que o público igualmente imbecil da minha vida não compreendesse. Obrigada por compartilhar. Olhos negros te leram!
PS: A repercussão do teu texto tá muito boa! Gil compartilhou no facebook dele, viu? Enfim, boas letras!

Ana Carolina disse...

Texto de arrepiar. Infelizmente isso é muito real. E o pior é saber que teoricamente a Lapa representa a nossa sociedade instruída, que aclama e respeita a cultura negra. Mas a cultura negra não tem que parar no gol, no soul ou no carnaval, não somos uma festa ou uma data, um fim se semana divertido. Somos negros 24 horas por dia. nossa cultura não é a excessão, é a regra. Mas assim como para todos os Jorges, a luta não é fácil, e muitos são os percalços, mas é só batendo na mesma tecla e dando o exemplo da vitória é que venceremos! Salve Jorge!

Ka disse...

Muito bom o texto. E lamentável o que aconteceu, compartilho seus pensamentos.

Dom de Oliveira disse...

A escravidão ainda é uma sombra neste país, ali, do lado, em formato e lembrança. E pensar nesta simbologia... Este absurdo tão atual de nossa elite, a elite brasileira, de hoje e de sempre. Esta mesma elite que usou todos os recursos públicos destinados aos flagelados da seca, quando no último baile do império. Aquele da Ilha Fiscal, no RJ. Aquela festa, que se fala tão pouco, é o simbolo maior de toda a injustiça praticada por estes que mantém a desigualdade arraigada e incurável no país. Para se dar uma única festa para ricos, tirou-se a comida, de um ano todo, da boca de milhares de famílias esfomeadas. Enfim...

Gisele Nyza disse...

Que decepção ter uma notícia dessas.. As pessoas não evoluiram cara, isso é muito triste de ver. Quando a gente pensa q a humanidade está fluindo, rola um lance desse e te mostra q.. não. Talvez esse público não!
Mas a esperança não vai morrer por causa disso!!

Bianca Cunha disse...

Que dizer além de que a ignorância segue seu trem, mas nesse vagão não sigo, fico a andar a pé, numa terra mesmo que seca, porém realista.

Belo artigo, bela denúncia, excelente desabafo. Que seja lido e relido.. Levo seu blog comigo.

Grata por soltar a voz .

@dhn91 disse...

"Olha outra vez,
O rosto na multidão,
A multidão é um monstro,
Sem rosto e coração..."

Anjinha Brava disse...

Vergonha de muitos brasileiros. Sinto em ter que dizer isso, mas em muitos momentos é só o que sinto. Será que temos que viver mais 500 anos pra ver a cabeça de alguns evoluirem? É isso aí Bruno, algumas coisas tem que ser ditas mesmo.

Lilis1914 disse...

Da até raiva ;s Quando o ser humano vai parar com egocentrismo e preconceito ? Ainda mais brasileiros... Que são uma mistura enorme de todo o mundo. TRISTE.
Rendeu um texto muito bom. :D

Gush21 disse...

só uma coisa, triste ...
é o país que vivemos a mto tempo e a mto tempo nada mudou !

sorte que nao é assim sempre, o show dele aqui em BH geral recitou junto e no final palmas e mais palmas !!!

ainda existe salvação !

Elizabeth Maia disse...

O show todo foi um erro. Eu estava lá. Não entendi aquela demora pra ele entrar e aquelas moças negras lavando o palco durante 45 minutos pra ele entrar. Era impossível andar pra comprar uma água, ir ao banheiro, não havia seguranças nem lixeiras, não havia fiscalização de cigarro. O ambiente estava péssimo. Saí no meio de "zé do caroço" e não vi as vaias, mas saí decidida a não voltar na Fundição antes que a péssima impressão sobre tudo daquele dia saisse da minha memória.

Fábio disse...

Meu povo voltar a me envergonhar. Cada vez mais morre a esperanca na humanindade.

Otimo texto e Viva Seu Jorge.

patriciabergantin disse...

Cara, muito bom o teu relato. Mas na mesma proporção que fico indignada com toda essa intolerância e desrespeito, também fico orgulhosa de ver e sentir que tem pessoas como você, cuja indignação transforma em algo. Em um texto, uma ação, uma conversa. Discordo, portanto, de uma parte do seu relato que diz que o mundo está cada vez mais sem sentimento, que é habitado por seres que não aprenderam a apreciar uma verdadeira arte.

Digo em contrapartida, que junto, e até proporcionalmente a esses ignorantes, surgem fortes pessoas como você, que carregam pleno sentimento pelo mundo, e apreciam e valorizam a arte.

Coisas de Criola disse...

Parabéns! é bom saber que tem pessoas com a mente aberta em um país com tanta cultura, mas que boa parte n conhece. é muita gente alienada.

Caranguejúnior disse...

É, negro drama, drama e lama... E o Brasil afundando!


Parabéns Pelo texto e parabéns pelo grito!

Vai que vai!

Abrax!

Thanure disse...

Como o Emicida citou em uma de suas músicas: "Agora vai ter que fingir que preto é sua cor favorita."

soul selector disse...

Obrigado por nos brindar com sabedoria e consciência e entender que negro drama não é um lamento, e sim uma retratação da realidade sempre atual

Churras * Bar disse...

Cara, simplesmente eu só quero te parabenizar pelo excelente texto! PARABÉNS! Mas não sejamos pessimistas, façamos a diferença!!!

Grande abraço

Carol lyne disse...

excelente texto, manifestção, pensamento! e é isso aí tem que expor mesmo. isso sim é uma maneira inteligente de usar os meios de comunicação. Está faltando gente de peito como você, gente que encherga os fatos! E o seu Jorge, que cara centrado, esse aí é foda!!!!encanta pelas palavras e atitudes dele!
paz moçada!

Rogério Leão Figueiredo disse...

Muito Foda. O ocorrido, o comentário, o artista. Ótima reflexão e Salve Jorge ... Jorge Mário da Silva, "Seu Jorge".

Mônica Nerys disse...

Olá, eu adorei o texto, inteligente e bem escrito e é claro a critica super bem construida, esse povo so quer ouvir musica que tem duas frases, se é que podemos chamar de musica hein
to seguindo aqui
abraços

Pedro Henrique Malta Martins disse...

Muito bom texto, não conhecia o blog, mas com certeza continuarei conferindo.

murabin disse...

Lamentável.
Sou fã do artista Seu Jorge. Mas, infelizmente, é possível que as pessoas que vaiavam tenham comprado o ingresso interessadas em musicas como "burguesinha" e "amiga da minha mulher", que considero vazias de conteúdo e destoantes na obra de Seu Jorge.
Espero esse episódio sirva para fortalecer neste artista a consciencia de que música, como outras formas de arte, tem potencial para melhorar as pessoas e o mundo...

Cl4udi4 disse...

Essa alienação ja existia, eu sempre tive medo de ir pra um show desses, e acontecer algo desse tipo, como se fosse um disco, no qual você escolhe as musicas que quer escutar do artista, mesmo que você tenha dado muito pelo "produto" !!! ignorancia brasileira crescendo e se multiplicando. O Artista se condicionar a "cantar" o que o "povo" quer ouvir!!!

Erika Prado disse...

Falta respeito pelo próximo, seja ele quem for, seja ele de que cor ou raça for.. so lamento.

Edna disse...

Caramba, meus olhos se enchem de lágrimas de saber que entre meus irmãos brasileiros existem seres capazes de tamanha violência, ignorância, imbecilidade a alienação. Sem mais...

Aline disse...

A vergonha foi enorme. Eu também senti. Piorou quando, no meio da vaia, ouvi "canta Burguesinha". O que faz sentido! Fui embora antes que ele cantasse...

Unknown disse...

Cara, mil vezes parabéns! Texto foda. Infelizmente muita gente não tá nem aí, mas o importante é ter gente que se preocupa ainda com a sociedade e o rumo que ela tomou. Isso aconteceu com o Seu Jorge, mas pode acontecer com qualquer um no Brasil. Qualquer um que queira passar uma mensagem diferente, sair do padrão, ir contra o sistema. Uma vergonha mesmo!

Ricardo Pilat

Dj Jorginho (The Number One) disse...

Lamentável. Mas, o racista foi o seu Jorge que disse que para condenar um político tinha que ser "negão" como o ministro do supremo. Quem vai a show quer ouvir música. Os ideais dele devm ser dito em livro ou documentário. Lamentável. Não fui ao show desse senhor que tem uma bela voz, mas não acho fantástico, pois as músicas dele e Ana carolina são em sua maioria versões de músicas americanas pouco conhecidas no Brasil.

. disse...

tem q botar essa playbozada pra dá uma lida no livro q o Eduardo do facção centrla acabou de lançar (a guerra nao declarada na visao de um favelado), ai sim eles vao ver se eles tao certo na parte de pensarem "periferias, vielas, curtiços...você deve ta pensando: o que voce tem a ver com isso?!"

Dan Monteiro disse...

Muito bem relatado, acredito que teria a mesma reação e ação que você teve. A "falta de cultura" poderia ter sido facilmente trocada por "manipulação da cultura popular". Hoje o popular é o "Sertanejo Universitário", etc etc... Amanhã já é outra vertente. Existe uma manipulação descarada da cultura popular e que enfiam goela abaixo através do entretenimento dos pobres: televisão/rádio e etc.

Fernanda Lima disse...

Parabéns pelo texto que nos transporta ao próprio show...quem dera esta hipocrisia,esta ignorância e esta falta total de cultura e de respeito fosse um "privilégio" carioca....mas o Brasil inteiro sofre desse mal...infelizmente!

G.A.O. disse...

Puxa vida ... cada vez mais vergonha da humanidade... isso não é só brasil não gente, são as influencias externas do "facil" junto as influencias antigas do oportunismo .. meu avô sempre disse que aki é terra de oportunistas, seu vizinho não ve a hora de vc morrer p ele comprar sua casa, a mulher na fila do mercado chega a desejar um ataque cardiaco em vc só para poder passar na sua frente, seu colega espera que vc não vá ao trabalho para ele ser promovido primeiro! nosso oportunismo nacional junto a futilidade externa da nisso .. alias o que mais esperar de uma nação sobre um solo que foi usado para enriquecer o mundo com pedras preciosas e agricultura... roubaram tudo de nossa terra e hoje são nossos compatriotas que roubam tudo que veem ... mas me lembrei de um video chamado DANCEM MACACOS procurem no youtube .. eh bem interessante

Unknown disse...

Independente da minha opinião sobre seu texto, tenho dois pontos a dizer:

1 - Como vc não lembra bem o que Seu Jorge disse no momento que falou sobre a frança, eu me recordo. Ele não enumerou "Branco, jovem e formado"
e sim "Bonito, Jovem e formado." Isso faz muita diferença.

2 - Acho que sua análise foi bem fundo. Você pode estar certo e o acontecido ter sido provocado por um racismo latente. Mas sinceramente acredito que o episódio triste aconteceu simplesmente pelas pessoas não entenderem a proposta do show e terem ido lá esperando um show mais "pop".

De qualquer forma parabéns por relatar o ocorrido.

Higor Rodrigues disse...

eu sou irmão dos meus trutas de batalha.. hipocresia de um Brasileiro sem cultura, esses playboy que só quer dançar que mais que se foda o Brasil aliás eles querem dançar né, SEU JORGE TOTAL RESPEITO POR VOCÊ.

Ariel Mujica disse...

Obrigado pelo texto, homem!!

Sara disse...

Um texto excelente, que retrata infelizmente, a profunda ignorância que vivemos no Brasil. O ser humano não se respeita a si próprio, quanto mais o próximo.. falta consciência e disciplina na mente das pessoas.

Jaque disse...

Em Balneário Camboriú, Seu Jorge foi aplaudido veementemente por todos ao terminar de recitar Negro Drama. É revoltante a alienação das pessoas que vaiaram Seu Jorge na Fundição. Estou lendo e sabendo disso agora e com muita pena dessas pessoas que não sabem valorizar a família Seu Jorge e Conjuntão Pesadão. Ignorância e preconceito de gente que não merece ter o privilégio de ver nem de ouvir o meu, o nosso grande Seu Jorge! Não é à toa que ele é chamado de "Seu Jorge"! É pq merece muito respeito mesmo! O que me deixa um pouco tranquila é que Seu Jorge sabe tirar isso de letra! Ele é inteligente e superior a todas essas coisas de gente pequena. Posso dizer que sou, senão a maior, uma das maiores fãs dele. SALVE JORGE MARIO DA SILVA e CONJUNTÃO PESADÃO!

jujubacarol disse...

Eu estava lá, compartilhei do mesmo sentimento.
Negro Drama, tão poético, tão realístico... Mas o Brasil ainda é um país que não está preparado e nem prepara outros negros drama.

Sites Para Você disse...

Sou negro, o relato descrito lindamente é parte de minha rotina, será uma luta até o fim.
Infelizmente!
Não muito longe, aqui mesmo em Gravataí onde moro, sem ninguém famoso, eu mesmo Diego Marques, já fui duramente repudiado pela sociedade em que pertenço.
Não foi a primeira e tenho plena certeza de que não foi a última.
Negro Drama

Edson Doiche disse...

Em Campinas ainda em março deste ano, eu fui num show free dele na praça Arautos da Paz no Taquaral e tinha 20 mil pessoas quando chegou nesse ponto politizado do show algumas pessoas começaram reclamar em voz baixa, mais foram logo repreendidas por militantes políticos que dominam Campinas, PT, PCdoB... ele manteve o ânimo, cantou o Zé do Caroço,chamou um convidado um trompetista famoso que tocava jazz e o povo foi ao delírio com o solo do músico. Cara eu só tenho a dizer que o problema é regional, existem lugares no Brasil onde só se ouve determinada música e é muito simples ouvir músicas com rítimos encaixados onde não precisa raciocinar para entender a letra, enfim... é como vc mesmo mencionou no seu belíssimo relato, é a ignorância cultural! Parabéns Brunão já somos teus seguidores.

Eu disse...

Parabéns pelo texto! Que ele sirva de reflexão para as pessoas e alcance uma repercussão inesperada e imensa!

ROBERTO BETO GUINNE disse...

LAMENTÁVEL O EPISÓDIO, MAS CONVENHAMOS, QUANDO ELE NÃO ERA NADA AS BRANCAS NEM OLHAVAM PRA ELE, AÍ TORNA-SE FAMOSO,GANHA DINHEIRO E COM QUEM ELE DESFILA DE MÃOS DADAS? COM UMA BRANCA. SERÁ QUE NÃO EXISTEM NEGRAS LINDAS O SUFICIENTE? VEJAM AS ESPOSAS DE WILL SMITH, DENZEL WASHINGTON, DAMON WAYANS, CUBA GOODING JR. WESLEY SNIPES, ENTRE OUTROS. VEJAM OS MARIDOS DE BEYONCÉ, CIARA, E DE VÁRIAS OUTRAS CANTORAS E ATRIZES NEGRAS NORTE-AMERICANAS. ANTES DE RECITAR NEGRO DRAMA, SEU JORGE, ASSIM COMO ALEXANDRE PIRES E VÁRIOS OUTROS PAGODEIROS E JOGADORES DE FUTEBOL, DEVEM POR A MÃO NA CONSCIÊNCIA SOBRE OS RELACIONAMENTOS QUE ESCOLHEM APÓS A CONQUISTA DE FAMA E DINHEIRO.

[RZA] Jonatas Lopes™ disse...

Bom, eu cheguei super cansado de uma jornada de trabalho e estudo.. Mas em momento algum me arrependo de ter tirado 10 minutos para ler o seu relato. Você está de parabéns cara, se 30% das pessoas do nosso país tivessem metade do senso crítico apresentado por você e pelas dezenas de comentários acima, muito provavelmente nosso país seria diferente..

Mas é isso ai.. A luta continua dias após dia!
Parabéns, e que Deus te de forças pra continuar assim!!!

dão disse...

NOSSA AINDA FALAM MAL DO NORDESTINO,MAIS NO NORDESTE ISSO JAMAIS ACONTECERIA,POIS SÓ POR CAUSA DE UM APAGÃO QUE PODE ACONTEÇER EM QUALQUER REGIÃO ELES CAIRAM MATANDO EM CIMA DA GENTE,PIOR QUE APAGÃO GENTE,É SER RACISTA,PRECONÇEITUOSO,UMA PENA. JOÃO DIAS.

Taguinho disse...

Fico feliz em saber que ainda existe pessoas como você Bruno, e como outras que postaram em teu blog.
Lamentável o ocorrido no Rio. Minhas reverências e meu respeito a pessoa que é Jorge Mario!!
Parabéns Bruno!
Tágor.
Vacaria/RS

Marcílio Pereira disse...

Só querem ouvir o que toca na Globo e nas rádios.
Parabéns ao Seu Jorge, sempre! Por sua história, por sua integridade. E obrigado pelo texto!

Bijulando disse...

Parabéns pelo texto.. Vc traduziu meus pensamentos do acontecido.. Foi triste, realmente..

pode mudar disse...

Muito bem relatado. Consegui me sentir lá dentro, e sentir também esta indignação. Mas devo dizer somente uma coisinha... Seu Jorge, muito admiro, mas faz tempo que não vejo o artista que ele realmente é, sendo mostrado para seu público. Ou outro público, que ele criou com algumas músicas que andam tocando na rádio como a da japonesa, entre outras... que são exatamente letras sem assunto, ou sobre a alienação carioca. Que ele, ou a gravadora, ou não sei o que seja responsável, projete o melhor de Seu jorge, que é maravilhoso, e sinto falta. Parece que em seus shows ele ainda mostra ao que veio. Parabéns pelo desabafo em bom tom e grande estilo!

Sabrine disse...

Excelente texto, não há mais o que dizer. Só vim aqui pra expressar minha indignação com o LAMENTÁVEL comentário do Roberto Guinne aqui em cima. Triste. Acho que eu não precisava nem dizer, mas querido, se o Seu Jorge deixasse de se relacionar com alguém pela cor da pele, aí sim, teríamos um problema...
Ó céus, onde o Brasil vai parar se as pessoas ACHAM que são contra algo, mas apenas CONTRIBUEM para o mesmo? É mesmo o fim.

ZELIA AQUINO disse...

Fiquei chocada, pois conheço um pouco de Seu Jorge, da grande pessoa humana que é, do artista preocupado com o melhor da arte... e o mais agravante, ser desrespeitado e na sua cidade.Quanta dignidade, e ele ainda continuou no palco... Parabéns SEU JORGE, perdoa, eles nao sabem o que fazem!!!

Dara Gomes dos Santos disse...

Eu tmb estava presente nesse show e compartilho da memsa opinião que você. Fiquei me sentindo muito mal e envergonhada fazendo parte daquela plateia.. queria fazer todos pararem de vaiar, mas não tinha como. Seria impossivel ele continuar o show como antes depois de um ato de falta de respeito como esse.. se fosse comigo acho q nem conseguiria voltar a cantar.. o pior é ter q ficar lendo comentarios alheios falando q foi o Seu Jorge q faltou com o respeito e q queria o dinheiro de volta.. e pra piorar muita gente nem entendeu o motivo da do problema.. aff! foi um show para uma plateia em sua maioria alienada mesmo! Se não estava gostando do show bastava ir embora! mas vaiar é o cumulo do desrespeito e da desconsideração com o artista.. ainda mais com ele não sendo um simples cantor da modinha, mas sim um artista completo q esbanja cultura.

Wellington disse...

Canatar pra boy nunca dará certo, somos uma raça que não se mistura não adianta, ao entrar numa casa de shows da elite tem que ser descompromissado, só pelo cachê, pra manter o arroz e feijão e nada mais. Deixa a arte pra quem merece, para o gueto !!!

O cara é muito bom é um ícone, mas na boa, que sirva de lição.

"Se cantar pra boy é evolução, vou morrer conservador" Eduardo-Facção Central

Wellington disse...

O MUNDO É DIFERENTE DA PONTE PRA CÁ !

Marina Mipus disse...

Que indignação ... lamentável realidade:
... onde pra essa massa de manipulados, o Seu Jorge, é só mais um rótulo, uma novela da Globo!
Já não se valorizam mais os verdadeiros guerreiros sociais e humanitários!

Sergio disse...

Vergonha de ter esta cor.... ou melhor, vergonha de não ter cor nenhuma!! Salve Jorge!!

Naiane Sabrina disse...

Quanto mais eu leio, escuto e vejo sobre atitudes de brasileiros, eh nessas horas que me envergonho da falta de conhecimento e tao profunda ignorancia. Acredito e concordo em genero, numero e grau quanto a voce dizer que falta de ignorancia eh sinonimo de pobreza... alias conheco muitos RICOS que vivem no ano do ari pistola, e no seculo onde os primatas eram muito mais sabios! Essa falta de interesse, hipocria e mesquinharia ... deveria ser abolido num passar de magica, mas cada vez tende a ficar ainda mais dificil pela falta de interesse em ser diferente, em se renovar e a humildade em simplesmente sentar e aprender!
Lamento pelo acontecido; ele certamente nao merecia, e nao me supreendo em querer cantar com enfase e tanto sucesso aqui no exterior... porque infelizmente eh aqui que as pessoas que frequentam tem uma cultura avancada e uma sabedoria mais digna de sentar em uma cadeira ou se estender para aplaudir um simbolo e uma figura tao digna e vencedora como SEU sabio JORGE. QUanto ao comentario de cor de pele, eh um exemplo de falta de conhecimento pra nao dizer ignorancia... as pessoas se relacionam com quem convem e se sentem bem independente se eh branco, azul, preto, cor de rosa ou amarelo. Uma historia que serve de exemplo de grandes conquistas.... e muito sucesso deveria ser de orgulho... para os anfitrioes que assistiram o show, ao inves de uma nacao que continua julgando demais... antes mesmo de olhar pra si proprio!! Eh o Brasil infelizmente ta muito distante de um dia fazer parte de "um primeiro mundo".

Francislane Silva disse...

Estou orgulhosa de ser brasileira,prq encontro pessoas corajosas e inteligentes como esse escritor. Pessoas como vc me faz crer q esse pais ainda tem jeito.!

Clint Eastwood disse...

Foi exatamente isso. Esse show foi um dos mais controversos que vi na vida.

Lembro a frase do Millôr: "Qualquer pelada é de uma complexidade shakesperiana". Nesse sentido, esse show não foi um show, mas um acontecimento político.

Tem outras questões que o nobre blogueiro/jornalista deixou de comentar. A questão é: Seu Jorge fez sucesso e ganhou muito dinheiro tocando em rádios, agradando a classe média abastada e (agora mais do que nunca) tocando na Globo e aparecendo na mídia com constância. Com isso, acabou vítima do que tanto procurava. Suas letras de protesto e seu esforço em buscar promover boa arte (ele deu espaço para uma galera bacana durante o show) e fazer uma MPB moderna e dançante esbarrou na ansiedade alienada e inculta de quem não pensa em outra coisa na vida exceto se divertir e fruir prazeres imediatos. É esse o mesmo público que não tem paciência para ver um um filme que não provoque riso imediato, sustos ou "emoções explosivas". Haja paciência com a impaciência alheia... O constrangimento é geral. A imbecilidade assusta. A crença de que o Brasil não possui uma população minimamente civilizada para lidar com a diversidade de expressões e de manifestações é evidente. Triste sina essa, especialmente ao se considerar que o show foi no Rio de Janeiro, cidade sede de eventos que exigirão bem mais do que segurança para não "dar bode" nos próximos anos...

Jah kNomoh disse...

se é dos silva , não serão apenas SILVA.
em simples menção e nomenclatura , a história já prova quem é de Algo ou alguem antes de ser de si!
os da silva , dos santos , arrudas , oliveiras , parreiras , pereiras, oliveiras e todo cultivo , deve ao verdadeiro CULTIVADOR o prazer da opressão de consumir todo fruto que os nomeados escravos merecem


Asé Jorge!!!

LP disse...

Parabéns pelo registro, pelas críticas, pelo desabafo. Nasci nessa cidade, já deveria ter me acostumado a essa indiferença burra generalizada, mas ainda me choco lendo isso. Seria bom pensar que esses que vaiaram são minoria na população, mas a verdade é que não são.

CFS disse...

... E se ao invés de entrar uma cantora de jazz, entrasse o próprio Mano Brown? Será que teriam a mesma atitude de continuar vaiando? Tenho minhas dúvidas....Sou de São Paulo e sempre que pude vou em shows dos Racionais os caras são os melhores não menosprezando os outros grupos... mas eles estão um passo a frente entende... se Seu Jorge "recitou Negro Drama", com certeza não foi por acaso ou pra se promover... ele não precisa disso. A falta de respeito é tão grande que não é por acaso que ele é mais respeitado fora do que aqui no Brasil.

P. disse...

para @roberto guinne.

bem, primeiro, voce o conhecia antes da fama para dizer que as branquinhas não estavam nem aí?
segundo, vc deveria se informar melhor a vida PESSOAL dele, já que quer citá-la. A Mariana , mulher de seu Jorge, a branquinha q vc viu com ele... foi ela que conseguiu levá-lo à "fama" . Ela que botou fé no cara, e tem duas filhas lindas com ele. tem branquinhas com conteúdo sim, que não era o caso relatado. Mas acho que o ponto aqui não é racismo, e sim alienação de pessoas que yêm tudo mastigado, tudo na mão e não sabe pensar. não consegue ver a desigualdade social, ind. de cor.

Ce disse...

Lamentável a falta de cultura de nosso povo! A ignorância , a intolerância imperam! Parabéns pelo texto!

Adriano de Campos disse...

O Carlinhos Brown - cultuado em outros países, especialmente na Espanha - sofreu o mesmo naquele Rock in Rio. Vejam só o que eles tem em comum. Profundamente lamentável!

Mar Eu disse...

Caramba...fiquei triste demais...
Sábado fui em um show de Chico César e Quinteto da Paraíba + uma menina que agora falha o nome, mas toca sanfona lindamente. Promovido pelo CCBB em homenagem aos 100 anos de Gonzaga.Um show belíssimo, delicado, mostrando o quanto a musicalidade de Gonzaga ia além do forró. Uma sonoridade rica, letras maravilhosas, enfim...
Tinha sentadas ao meu lado, três senhorinhas da terceira idade. Algumas agora andam em bando e agem como adolescentes que perderam o bonde. Ficaram o tempo todo criticando. Dizendo que foram ali pra "dançar e cantar forró", dizendo que a música do quinteto era pra velório (estariam com medo da hora que se aproxima?). Fui ficando incomodada e sai do meu lugar. Eram cadeiras. Fui lá pra frente curtir. Daqui a pouco dois rapazes também foram lá pra frente e fizeram o comentário: "SAI DE LÁ PRA NÃO DAR UMAS BIFAS NAQUELAS VÉIAS". Eles estavam sentados do meu lado. Sou contra "bifas", mas fiquei tão incomodada com a falta de respeito daquelas senhoras. O show era ao ar livre, de graça. Era só pegar o banquinho e sair de fininho. Voltei a sentar e elas continuavam na ladainha. Até que um senhor falou: SENHORAS LUIZ GONZAGA FOI MUITO MAIS E ELES ESTÃO MOSTRANDO. Dá pra senhoras pararem de incomodar? Eu que nessa altura já tava com o saco na lua também, falei: PIOR QUE BANDO DE ADOLESCENTES GRITANDO (pelo menos estão no tempo delas) É 3ª IDADE QUE NÃO SE VÊ. o show acabou e elas além de vaiarem sairam falando que "perderam o tempo delas e nem dançaram". DEUS ME DEU UM SACO DE PACIÊNCIA SÁBADO.

Alexandre Porto disse...

Eu ainda não engulo o Seu Jorge justamente por palavras absurdamente preconceituosas contra o ex-presidente Lula. Não chego a ficar feliz pelo 'troco' que esses mauricinhos deram nele, ao contrário, lamento. Alienado é como eu me refiro a ele, desde então. Pode ser que eu esteja desatualizado em relação a ele, que ele já tenha feito uma mea culpa; quem sabe não foi nesse dia.

Toda forma de preconceito é uma alienação.

jéssica Nonato disse...

salve Jorge, é a única coisa q tenho forças p expressar e obrigada Bruno por sua atitude e força de nos trazer essas informaçãoes tão bem escritas!

Raquel Pires disse...

Sem palavras para seu texto, impecável e irreparável...

Bruno Moreira disse...

Infelizmente essa é a realidade do nosso Brasil. Por culpa de algumas pessoas , eu não tenho orgulho de se brasileiro. Afinal , sempre tem um brasileiro no meio de tudo pra estragar as coisas. Não só da classe baixa , mas como também da classe alta. Ambos nos fazem passar vergonha , tanto como nacionalmente e internacionalmente. Vivemos em um país que a hipocrisia , racismo , deslealdade e etc reinam. E nós sempre acreditando que o Brasil está em uma fase progressiva , creio que está mais pra regressiva. E com certeza o país tende a piorar cada vez mais...

Jelder Pompeo disse...

Camarada,
Não foi diferente as vaias no SHow do Seu Jorge aqui em Cuiabá MT.
Pelo menos as vaias,em sua maioria foram mais pela ignorância quanto a liberdade artística do show e não tanto pela declamação, talvez,pela abstração do público durante a mesma.
Saudações e belo texto.

FLAVIA VITÓRIA disse...

parabéns por esse belo texto. Não conheço a música desse artista. Mas fiquei muito triste com seu relato, pois isso nos mostra a imensa falta de cultura que há em nosso país. Lugar esse onde músicas com teor pornográfico são cantadas e entoadas pela boca de muitos. Não estamos progredindo culturalmente, mas sim regredindo.
A falta de respeito para com o próximo é notória em todos os lugares. Seu eu acreditasse na evolução da espécie, eu diria que o brasileiro está regredindo categoricamente.

divadivinha disse...

Quanta ignorância!
Muito bom o texto e compartilhando!

Rafael Tadeu Raskauskas disse...

Bruno eu só tomaria cuidado quando você fala em Brasil, sociedade brasileira, etc. Você acaba generalizando, pois tanto você quando o próprio Seu Jorge são cidadões brasileiros e pensam diferentes. Matéria bacana.

Felipe Melo de Araujo disse...

Parabéns !!! Relata de forma coerente e objetiva a situação do jovem brasileiro... a alienação, omissão e a falta de respeito só nos mostra que o Brasil não é e provavelmente nunca será civilizado... muito boa crônica !!!

Kbça disse...

Gostei do texto mas na minha opinião não há de se generalizar se referindo a sociedade brasileira, por conta dos ignorantes dessa casa noturna, que ao meu ver fazem parte da minoria de pessoas com condições e realidade de vida bem diferentes do que a maioria do Brasil, maioria que com certeza aplaudiria o Seu Jorge por se identificar com a letra. Esses pobres coitados que vaiaram não entendem e nunca vão entender a nossa realidade.

Bruno Moreira disse...

Esqueci de dizer que não são todos Rafael... Obrigado por ter essa visualisação , rs

Alexandre Vidal Rego disse...

O povo e muito bobinho mesmo...acho as musicas do Seu Jorge d+...(um cara para colocar "escangalhado" numa musico precisa ser muito foda)
Mas...desde quando o Seu Jorge pode falar de alguma tipo de desigualdade????
Perai ne?!
O cara cobra 4 milhas para fazer inauguração de shopping e anda de lamborghine gallardo e porshe panamera, não pode falar de desigualdade pois ele contribui tbm...

Rossano disse...

Infelizmente estes ignorantes estão se multiplicando em vários seguimentos sociais.

abfranco disse...

Parabéns pelo texto...diga-se..excelente texto!
Você soube relatar com muita clareza esse mundo podre chamado Brasil!...

Mas vamos acreditar que um dia isso mudará sim..pessoas como você fazem a diferença numa sociedade hipócrita e desumana... devemos todos nos juntar para combater as injustiças e tornar nossa sociedade melhor..

Livia Maria Malheiros disse...

Você expressa tudo que estamos sentindo em relação ao POVO Brasileiro, e principalmente o que se tornou o nosso Rio de Janeiro decadente!!!
Faço de suas palavras, as minhas e de uma série de amigos, que estamos nos sentindo mortos vivos, e somos atropelados todos os dias pelas pessoas que só pensam no seu próprio umbigo, que a cada dia aumenta mais as falanges do terror e do mau gosto musical e em todos os níveis, precisamos fazer uma corrente do bem para elevarmos o que é bom e fazer o nosso Rio de Janeiro voltar a brilhar!!!
Parabéns pelo belo texto.

Julius Caesar Rodrigues disse...

Eu estive num show de Seu Jorge em Janeiro num festival de música onde o astro principal era Bruno Mars. Seu Jorge fez o mesmo show, a mesma apresentação, a mesma passagem que teve a colaboração fantástica do público que o aplaudiu muito. Fez jus a todo o seu talento e a carreira que vem construindo. Mereceu todos os aplausos pelo artista que é, pela pessoa que é. Infelizmente um momento lamentável da história da nossa música. SIM! Não podemos enxergar como sendo algo pequeno no cenário musical carioca pois é reflexo do que ainda é nossa sociedade, da sociedade brasileira! SALVE JORGE!

Isabel Miranda disse...

Parabéns pelo texto! Eu não conhecia o blog e recebi o link de um amigo pelo facebook. Vou acompanhar o blog e os novos posts.

Fiquei arrepiada a cada frase sua. Tenho nojo da burrice do nosso povo brasileiro. E infelizmente isso não acaba, tive a experiência de sentir que novas inocentes crianças estão sendo criadas da mesma forma preconceituosa. Preconceito do pobre, do negro e de tudo que é diferente ao meio em que vive.

http://twitter.com/stivedouglas disse...

E sabe o pq essa galera não tolera ouvir músicas com "Nego drama"? Eles dizem que não existe mais preconceito racial e por isso a música é púnhetação, é racismo do proprio preto. consciência louca dessa gente.

SgtPacheco disse...

Ninguém está totalmente certo. O comentário de Seu jorge sobre a necessidade de um cara peitudo como o ministro ser negro foi racista também. Talvez tudo que aconteceu naquele show (a demora do artista, a apresentação demorada de mulheres lavando o palco, o clima ruim do local, etc) tenham contribuído para a falta de paciência do público (quem vai a um show quer SIM se divertir e não ter esses aborrecimentos). Depois que tudo isso acontece o cara começa a declamar.. sei lá. Afinal.. paciência tem ou não limite ? Não estou dizendo que o correto nessa situação seria vaiar, mas temos que avaliar TUDO.

Rodrigo Hillesheim disse...

É, não podemos esquecer quem são os brasileiros desse nosso pais. Para alguns deve ter servido de reflexão e aprendizado, para outros passou em branco. Não são capazes de verem as cores.

Flavio Henrique disse...

Esse e o verdadeiro Negro Drama, apos ser mundialmente reconhecido como cantor, aqui no Brasil, tem que viver pra crer.
Assim como SEU JORGE, eu sou assim como muitos mais um NEGRO DRAMA.!!!!!!!

Fabian disse...

Gostei muito desse texto. Eu fui naquele show também e senti a divisão em duas partes.
Só queria dar uma impressão minha sobre o que aconteceu. Eu estava bem perto à frente do palco no centro mesmo e dentro de uma multidão de pessoas. Durante a fala de Negro Drama tocou uma música por fundo e pelo menos lá onde eu ficava não deu para entender nada da fala dele. Eu não sabia nem do assunto de que ele falou. Minha impressão nem foi de que o público discordou tanto com o conteúdo. Logo todo mundo começou a falar porque não prestaram mais atenção, que me fez entender ainda menos.
De qualquer maneira, não me entendam errado, acho uma grande falta de respeito frente ao artista e ao resto do público vaiar nesse momento. O fato de ele recitar um poema no meio do seu show na cidade dele (e isso, sim, deu pra perceber) deve ter algum sentido e conhecendo seu jorge provavelmente um significado mais profundo pra ele.
Só queria dizer que nem toda agitação durante a o poema foi por preconceitos raciais e discordância. Concordo que existe muito racismo latente e certamente muitos que não gostaram do poema por causa disso, mas talvez (tomara que) sejam menos que vocês pensam.
A música atrás da fala atrapalhou muito e seria necessário silêncio para entender o poema e fazer o público pensar.
Obrigado, porém, por postar um vídeo dele recitando o poema pois agora vou poder entender.
Salve Jorge

Porco da Silva disse...

Cara, gostei do texto e da reflexão, mas acho que você se engana ao dizer que esse é o retrato do brasileiro médio. Esse aí, na minha opinião, é o retrato da classe alta alienada.
Quanto aos dias piores por vir, penso também diferente. Acho que virá muita turbulência por aí sim, mas porque o Brasil tá discutindo esses assuntos como nunca. Agora os dois ou mais lados de diversas questões polêmicas, que nunca se permitiram sair do patamar de tabu,vão se confrontar. Cabe a cada um de nós defender o seu ponto de vista. A questão dos preconceitos, claro, também é uma dessas. Como diz o poema, "vamos de mãos dadas".

Parabéns pelo texto e um abraço.

Jessica disse...

Parabéns pelo texto! Concordo com tudo que diz e este fato relatado por vc só me fez acreditar ainda mais nisso. Eu, sinceramente, tenho vergonha de fazer parte desse povo brasileiro...

;)

SgtPacheco disse...

Leiam o comentário do Fabian acima e vocês vão começar a traçar um outro panorama do fato. Não generalizem.. muito do que aconteceu se deve a problemas de produção do evento.

peixe disse...

Branco x Negro... Rico x Pobre, Playboy x Vidaloka, Lado de cá da ponte x lado de lá da ponte...

Isso em praticamente todos os comentários... essa divisão que é triste... são todos humanos, e possivelmente brasieliros... concordo com a pessoa que disse: 2 - Acho que sua análise foi bem fundo. Você pode estar certo e o acontecido ter sido provocado por um racismo latente. Mas sinceramente acredito que o episódio triste aconteceu simplesmente pelas pessoas não entenderem a proposta do show e terem ido lá esperando um show mais "pop".

N fatores podem ter gerado isso, mas é mais fácil colcoar na conta do preconceito... há uns 3 anos no Palce me SP aconteceu quase a mesma coisa... na hora do Negro Drama começou conversas paralelas, burburinho que incomodou o Seu Jorge... eu olhie para as pessoas... era "desrespeito" por não estar prestando atenção no artista, mas não era um "desrespeito ideológico"... tava rolando conversas, xavecos, era o momento do show para respirar, descansar, beber agua... ele ficou puto com isso, mas era entendível... não prestaram atenção na mensagem que ele estava passando... mas aí é de cada presente internalizar a mensagem... tal show é entretenimento não necessariamente doutrinação... Não estava presente, mas N fatores diferentes poderiam ter gerado essa reação. Que existe preconceito racial-social no Brasil é fato. mas acho perigoso jogar tudo nessa cota.

Jorge Ferreira disse...

Para Combater, as Vaias dos Inconsequentes; Resta-nos fazer um tremendo Coro à chamar " O ZÉ DO CAROÇO"

SgtPacheco disse...

peixe.. mais um esclarecido a pintar por aqui. Obrigado pelas observações... penso o mesmo. Se o artista fosse um gay assumido a recitar um poema sobre a luta dos gays na atualidade teriam dito que as vaias foram porque o público era homofóbico. Agora falar que o ministro só podia ser negão (como se não houvessem pessoas dignas e corajosas em outras raças) pode, né ? Tranquilo...

Acassia Camargo disse...

Bruno, tudo isso é lastimável, mas que bom vc estava lá. Pois, indignou-se e pôde dividir conosco esse sentimento que se fortalece quando junta a todos, cada palavra dita pelo Seu Jorge.
Mostra que esse Guerreiro também chamado Jorge tem muito ainda, que lutar. E que nós possamos caminhar juntos nessa batalha que vêm sendo travada a tanto tempo por todos os nossos que buscaram não que gostassem de nós, mas que simplesmente nos respeitassem. Tão pouco mudou até agora, ainda estamos no princípio dessa caminhada, mas veja o exemplo do nosso Ministro Joaquim Barbosa, levando a voz e fez a sua parte.
Por levantar a voz muitas vezes somos tirados como "ignorantes", "intolerantes"... O que importa é q não se cale, que não aceite.
É isso que temos que continuar a fazer ainda que sejamos vaiados, a brigar pelo que merece qualquer pessoa, RESPEITO!
O meu respeito pelo Seu Jorge já era grande e hoje está ainda maior e é tão grande quanto o que tenho hoje por você. Parabéns e muito...muito obrigada!!!!
Acássia Camargo

Moonwhisper disse...

Chorei e tive vergonha, muita vergonha de fazer parte de um país com esse tipo de gente. De pulsante o racismo ,é escancarado é vergonhoso. Vergonha. Simplesmente vergonha.

Regina Coeli Carvalho disse...

Sinto vergonha dessa gente que sequer aprendeu o significado da palavra respeito.
Felizmente temos um grupo pensante que denúncia, que grita e assim podemos disseminar que o racismo existe e está na nossa cara.
Parabéns, Bruno, pelo seu desabafo.
Abraço solidário.

Michele Rodrigues disse...

Parabéns pelo excelente texto, e deixo à você o meu lamento, por ter presenciado tal fato. Infelizmente, nossos queridos jovens de hoje, que tem tanto acesso à informação, que tem muito mais facilidades para ingressar em uma faculdade,que tem muito mais facilidades para adquirir coisas e objetos, esqueceram de adquirir o principal no ser humano, e algo que não está à venda: Caráter, consciência. Sinceramente, não vejo saída para a raça humana em geral, o mundo todo valoriza o imediato, a diversão, o prazer, e esquece do fator humano. O egoísmo é hoje a bandeira da juventude. Saudade do que eu não vivi, a época da juventude de meus pais. Havia repressão, ditadura e tudo mais, mas os jovens eram mais conscientes e tinham mais conteúdo. Estamos livres da ditadura, graças á Deus, mas temos que conviver com essa galera que não tem nada na cabeça. Não se pode ter tudo mesmo, como dizem alguns!!

Transpirações disse...

Triste!!! Muito triste.
Acompanho a trajetória do nosso Jorge desde os tempos do FArofa. Nunca me esqueço da primeira vez que o ouvi. Ao contrário dessa triste história, vivi uma experiência muito diferente dessa da Fundição. Em 2005 tive a oportunidade de assistir a um showzaço do Seu Jorge me São Paulo, no Via Funchal. Casa lotada, Seu Jorge foi recepcionado como um Rei. Não vi esse Jorge triste. Vi um cantor e compositor maravilhoso completamente integrado com a platéia que não o deixava sair do palco. Nem me lembro a quantidade de bis. Um dia essa classe merdia carioca alienada vai ter engolir essas vaias todas.
Obrigada pelo texto.
Rosely Magalhães

Rogério Noturno disse...

Amei o texto Bruno, foi minha filha que me trouxe a atenção dele, porém esse vídeo já havia visto, meus parabéns!!!

Paula disse...

Cara,

Parabéns pelo texto. Como você mesmo disse, isso foi um desabafo. É lamentável presenciar situações como essas nos dias de hoje, eu sei, mas não me causa estranhamento pelo fato de vivermos uma política de Estado que só fomenta ações como essas.
O que fizeram com Seu Jorge no show, é o que muitos que estão ao lado pensam sobre nós e não tem coragem de expressar. Num show, em meio a tanta gente, fica mais fácil vaiar...
Afinal de contas vivemos numa terra chamada Brasil, onde todos somos iguais. Estamos juntos e misturados, não é mesmo? Gilberto Freyre nos disse isso em Casa Grande e Senzala. Ali Kamel tenta nos incutir isso quando afirma que Não Somos Racistas, e tantos outros...

Nathaly disse...

Seu Jorge fez esse mesmo show aqui na cidade e foi muito bem recebido. O povo aqui nem curte muito a onda dele, mas respeitaram e até passaram a curtir, o show estava repleto de jovens roqueiros e todo mundo respeitou! Assim que deve ser o Brasil é tão grande e rico em cultura, e é isso que faz nós brasileiros ficarem conhecidos no mundo todo... Isso tem que mudar! Lamento pelo grande Jorge que nunca foi digno de tamanha estupidez.

Papel de Roça disse...

Vi algo parecido acontecer numa apresentação do Cordel do Fogo Encantado no Canecão em dois mil e antigamente. O Naná Vasconcelos fazia a abertura do show. Outro ritmo. Aida bem que o cara era vacinado, mas precisou o Lirinha interferir. Isso é o fim. Mas estamos no Rio de Janeiro e na Fundição Progresso. Fiquei muito triste. Essa não é a minha cidade!!!!!!!! Obrigada ao autor deste texto maravilhoso. obrigada mesmo!!!!

Otávio Paranhos disse...

Muito bom! É triste pensar que nossa cultura é mais valorizada em outros países, mas achei o texto pessimista demais. O Rio de Janeiro é só um estado dentro do nosso país, não acho que o pior está por vir, existem muito "JOVENS" afins de apreciar, contemplar e produzir cultura. Acredito na mudança de pensamento, de critérios e de discernimento. Lógico que não existe mudança por completo, sempre haverá quem não goste, quem não se interesse, em alguns lugares mais, em outros menos.
VIVA SEU JORGE, VIVA A CULTURA BRASILEIRA!

Tayná Morena disse...

Concordo em relação a falta de respeito com o artista Seu Jorge, e acho que antes de ir em algum show, é possível, hoje com a internet, ver alguma apresentação passada e avaliar se vale a pena ou não pagar para ir. Muitas pessoas do meu lado vaiaram, a ponto de eu não conseguir entender o que ele estava falando, o que me irritou muito. Mas não gostar ou não ter o mínimo respeito e educação, não fazem da pessoa racista, acho que você exagerou nisso. Fiquei muito triste por ter pago e o público conseguir desmotivar um artista com excelência como o Seu Jorge.

Liana Fernandes disse...

desculpa Tayná Morena mais houve racismo sim,as pessoas que estavam no show algumas escutaram pessoas dizendo "esse negão ta querendo o que falando poema!" foi quando começaram a vaiar.Peço que leia todos os comentarios que aqui foram escritos antes para dar a opinião de vcs.

Liana Fernandes.

MAM disse...

Sem generalizar mas ao mesmo tempo generalizando, ô povozinho ruim é esse o nosso morô!

Bruno Mulin disse...

Viva a alienação carioca!

Tuiu disse...

Que tristeza, tristeza por saber que isso que aconteceu com Seu Jorge, que amo tanto, é só uma pequena prévia do que acontece com a nossa vida, com a minha vida, sou negra, professora, e tenho que "engolir" muita arrogância, ignorância, falta de cultura, e principalmente, falta de educação, educação de berço, de pai e mãe, do respeito ao próximo, da gentileza, dos meus direitos, dos meus deveres... Q vergonha... Q tristeza...

Alexandre disse...

O que dizer? Este é o nosso povo, a nossa elite, a nossa cultura. Gostam do Seu Jorge pq ele tá na moda, o preto que faz a galera dançar, mas na verdade não toleram o fato dele ser negro.

Ele é negro e ao mostrar aos que estavam ali, assistindo, que passou por todas as dificuldades do mundo, talvez no sentido de libertar a mente preconceituosa das pessoas, perdeu.

Perdeu para o preconceito, a pouca cultura da elite e perdeu para os ignorantes e racistas de plantão, que querem mais é tomar uma gelada e ser anencéfalo para os problemas sociais.

Dificilmente eu pagaria para ir a um show dele, por uma questão de gosto musical, mesmo tendo até curtindo a declamação de negro drama dos racionais, banda que já fui no show e iria novamente por achar eles de vanguarda e inovadores, mas tomar uma atitude como essas pessoas tomaram, é totalmente fora de propósito e preconceituoso.

Mas o que esperar de nós? Isso é apenas o retrato do que somos.

Jorge Mizael disse...

Muito interessante, existem pontos conflitantes, lógico, no que concerne ao fato do Seu Jorge vender uma imagem mais ´´entertainer´´ do que ele realmente parece ser (mostrou-se uma pessoa muito mais culta e esclarecida do que as próprias músicas que vende) mas nada descarta ou cerceia ao artista o direito de fazer ARTE, e por mais que a maioria ali estivesse impulsionada tão somente pelo entretenimento vendido nas rádios e novelas com o nome ´´Seu Jorge´´ anexo - e só - não acho justo desrespeitar o roupante de arte que, do pouco que lhes é servido, emerge... Fica minha opinião. E o pior é que não pode-se culpar o Seu Jorge por isso (seria como botar a culpa do estupro na saia curta da piriguete) o cara vende na mídia o que o povo quer comprar - entretenimento - o povo consome e se entope dessa arte vazia que somos obrigados a vender e, na abstinência dela, pira! Aí se o cara chega no show e deixa de tocar ´´burguesinha´´ e ´´amiga da minha mulher´´ pra tocar algo mais cabeça (tipo Zé do caroço mesmo) o público idiota de sempre se enfurece, porque pensar ninguém quer... E o pior é que nós, como músicos da noite, nos vimos obrigados a propagar esta pseudo arte que cada vez mais empurra nosso povo pro abismo cultural, porque se nao o fazemos, morremos de fome...

Cassim & Barbária disse...

Episódio triste e vergonhoso. Excelente texto. Parabéns!

Rafael Maciel disse...

Fui ao show em BH, foram só apláusos e vibrações. São esse, eleitores corruptos, que votam em branco, anulam e vendem seu voto que gritam que a política é a parte ruím do país.

tulliustulãobatera disse...

Sem dúvida houve erro na produção do show e da Fundição; seu jorge não soube adequar sua fala nem sua atitude! SgtPacheco muito bem colocou e reitero,há militantes afro-descendentes que tb são preconceituosos e hipócritas, tal como Alexandre Vidal detalha em sua mensagem, além de lembrar-nos de que o artista vitimado pelas vaias tb tém padrão burguês! Concordo com P. q postara em 30 de out., às 7:12 que branquinhas tb pensam e q sua atual mulher é de cútis branca!Clint Estwood lembrou-nos de que seu Jorge anda de Porshe e cobra altos cachês e q não fica bem discursar moralismos verbais para um público que pagou p/ assistir ao show pop.Fica muito contraditório criticar o preconceito racial com argumentos também preconceituosos! Eu já sofri violncia de vários tipos advindas de negros e negras, durante a vida toda! nem por isso deixei de amar uma negra e de ter amigos negros! Não se combate culturas diversas e diferenças de valores com resistência revanchistas! Viva o brasil miscigenado!

tulliustulãobatera disse...

Por um Brasil mais tolerante!

Chico disse...

Não tem tristeza nenhuma aí. O artista age como quiser. O público reage como puder. Esse negócio de "propriedade" pra se intitular nego drama também não tem nada a ver. O cara é um artista.

tevendo disse...

Belo texto! Demonstra como estamos pobre em cultura e respeito. Tá foda voltar pro Brasil, vou ficando por aqui mesmo.

Prix disse...

Sabe o que é pior? Esse é o Rio que se intitula democrático, que tem a geografia como fator crucial para a ilusória integração e que principalmente tem no carnaval, o ápice de sua alegria, onde as mais variadas raças e classes socias se esbarram nas esquinas. Enquanto pretos e pobres estiverem presos nos barracões das escolas de samba, nos subúrbios...tudo bem! Mas subir no palco para discursar sobre a marginalização da maioria....Ah! Isso já é demais! Se estiver lá em cima, que seja para fazer o povo dancar, afinal é isso que importa!

Vila 121 disse...

"Lembra da criança no sinal pedindo esmola?
Não é problema meu, fecho vidro e vou embora!...

...Quem planta preconceito, racismo, indiferença
Não pode reclamar da violência."

Quem Planta Preconceito - NATIRUTS

Helcio Tonnera disse...

Confesso que não sei não... No meio de um show... já varando a madrugada... um artista tem todo o direito de ousar, "mudar de tema e/ou clima", e tentar "conscientizar" sua platéia em matéria social ou política...
Mas eu não acho que a platéia tem a obrigação de aceitar. Como sabemos bem, tem hora para tudo... Além disso, reagir com generalizações do tipo "Viva a alienação carioca"... não me parece uma atitude de pessoa esclarecida. A causa com certeza é boa... mas a forma e o método, perdoem-me, ficaram muito a desejar.

Josimara Souza disse...

Muito bom o texto! Infelizmente, existem pessoas pobres de espírito que não sabem, se quer, apreciar a cultura de seu país ou, pelo menos, ter respeito aos que apreciam. Eu já admirava Seu Jorge como pessoa e cantor, depois disso, passo a admirá-lo muito mais. O fato acontecido só é o retrato de uma sociedade medíocre onde cada um só faz olhar para seu próprio "umbigo" e que ignoram a história vivida por todos os níveis sociais e raciais que existem em nosso país. Viva a Seu Jorge!

Somos apenas um disse...

Infelizmente esse é o nosso Brasil, quando temos excelentes artitas eles não são valorizados, somente aqueles que não cantam não dizem e não fazem nada tem valor.
Isso é horrivel, preconceito é crime e pior o artista não tem nem como processar tantas pessoas.
Por isso quando um artista não quer fazer shows e apresentações no Brasil as pessoas não entendem. Mas gente se a politica está como está imagina as outras coisas. Esse é o nosso belissimo Brasil.
ótimo texto, vou colocar no meu facebook.

Mac Porteiro disse...

Desculpem pelo palavrão, mas com esse tipo de gente por aí, o Rio tá é fudido (sic) mesmo.
Depois nego não entende porque o Brasil tá no buraco. Tá no buraco porque existe muita gente que "chegou lá" às custas dos outros, e que não sabe o que são valores de educação e respeito. Um desastre de sociedade. Brasil era pra ser o melhor país do mundo - não precisava ser mais que EUA nem ninguém, simplesmente o melhor, ao seu jeito. Mas com essas verminoses... difícil.

Sou branco de pele, e por dentro sou vermelho, grená, verde, amarelo, preto, marrom, igual a todos. Todos. Quando a humanidade vai largar de ser tão mesquinha?

Unknown disse...

Não fui ao show... aliás há muito tempo que não vou a nenhum show. Meu salário de professora do
Estado não me permite esse luxo. E, justamente por causa de minha profissão, não me espanta o ocorrido. Uma juventude que não valoriza o conhecimento, que não respeita o professor em sala de aula, não pode ter outro comportamento em um show que tem como finalidade criar consciência política.

Ilarindo disse...

Vão faltar palavras pro resto da minha vida pra descrever isso. Todos nós deveriamos nos sentir apunhalados. EU DISSE TODOS!
Um salve a nossa ignorancia. Que ridiculo.
E meu dia se encerra aqui. Decepcionado de verdade.

A Mente da Mulher disse...

Lamento dizer que mais que preconceito o que reinou ali foi IGNORÂNCIA (= falta de saber) na sua mais completa forma de ser.
Eu não estava lá,mas posso apostar que o protesto foi mais por TER que OUVIR POESIA (que chatura, hein???) e JAZZ (mais chatura ainda!!!).
Estas pessoas que vaiaram provavelmente dirão que pagaram para se divertir com a MÚSICA de Seu Jorge e só.
Mentes tacanhas. Ainda mais tacanha que você, Bruno Rico, imaginou.
Educação não é só ir à escola.

Uma outra menina disse...

Chorei enquanto li. Acho que mais por ver sonhos "de evolução" estilhaçados, do que por indignação, pois infelizmente esse relato não me surpreende, histórico de atitudes bizarras é o que não falta pro ser humano. Lindo texto, obrigada!

Agatha A Araujo da Silva disse...

Falou tudo Adorei seu blog, eu já amava o seu Jorge agora mais ainda :)

Layla Lima disse...

Parabéns pelo texto, é um absurdo que ainda exista esse tipo de ignorância no Brasil e no mundo...Também tenho medo de onde isso vai parar...A humanidade tem ficado cada vez mais cega, completamente alienada, ignorante e com a mente fechada voltada apenas pro lucro, pro dinheiro que é o que o sistema quer...Com isso, a racionalidade se torna cada vez mais predominante e a ignorância também, infelizmente.Lamento muito pelo Seu Jorge, ele é um cara incrível, um exemplo de superação e sucesso e inteligentíssimo não merecia esse tratamento e nem a convidada dele merecia.

Laura Pimentel disse...

Bem, concordo com seu texto, em tudo, você falou maravilhosamente bem sobre a nossa classe media alta que além de careta, quadrada e cristã é hipócrita,porem se esqueceu do fato de que o artista no caso, o Seu Jorge, plantou isso, e está só colhendo o que plantou, fazendo musicas como "burguesinha", é exatamente a esse publico o qual ele atinge, acho Seu Jorge um artista sensacional, completo, porém admito que ele se vendeu a mídia sim, com canções mais vendidas, e é isso que o "povo" procura quando vai ao show dele, e não toda a cultura que ele tem a nos oferecer.

Roberto fonseca de jesus disse...

Belo texto,essas são aquelas que não sabem dar valor a qualidade de um bom artista,infelizmente esses poucos ainda não evoluiram mentalmente,parabnes pelo seu texto.

Guidá Mendonça disse...

Triste cara, muito triste. O nome disso é, como vc disse alienação, ignorância, individualismo. Mas tudo isso pode se resumir fácil em uma palavra: valor(para não dizer grana). Seu Jorge pode, inclusive, adotar o comportamento do mano brown, que é de cantar para quem ele quer cantar, quem ele sabe que minimamente ouve, compartilha. Os caras pagaram 60 pilas, não querem política querem que o artista "cante".lamentável.
Parabéns pelo texto, pelo relato, obrigada!

Contato - Marcus do Cavaco disse...

Boa noite, parabéns pelas palavras, embora não estivesse na Fundição consegui vislumbrar e sentir toda a sua angústia!!!
A velha máxima do santo de casa não fazer milagres prevalece!!!
É preciso q a Europa e a América Brancas dite aos incautos tupiniquins o valor de seus filhos... a cena se repete mudando apenas o personagem!!!
Foi preciso a França dizer ao mundo que o ATLETA DO SÉCULO era aquele crioulinho de Três Corações que chamam de Pelé... enquanto por aqui tentavam ofuscá-lo com outros de menor valor!!!
Não nos rendamos... continuemos com a "nossa" luta!!!

Rodolfo disse...

Lamentável. Não deixar de ser uma amostra desse hedonismo conservador, em que o que importa é o consumo e não a cidadania.

Seu Jorge está de parabéns por sua postura.

Unknown disse...

Demorei uns minutos para ler , aliás meditar..e este texto e pura verdade de alguns e nossa nação...seu Jorge sim o verdadeiro negro drama...entre tantos outros " Joaquim Barbosa'....o cara q escreveu o texto eu nao conheço , mas meus parabéns .....e isso ai ...Nego Drama de Estilo...Renascendo das cinzas ,Firme e forte, guerreiro de fé
Vagabundo nato!

Daniel Sousa disse...

Tem um pessoal que não está entendendo nada... vivem de estímulos de curta duração, trocaram a política pela estética e já são milhões... a chamada massa de "consumidores"...

Realmente é lamentável o ocorrido, mas também é uma lição para nós como povo... Seu Jorge, professor, nos deu a lição, cabe a nós aprendermos e ensinarmos aos menos favorecidos intelectualmente, pois ignorância e intolerância só podem ser tratadas com educação e boa vontade..

Mardeomi disse...

Senhores eu estava no show, e sinceramente não vi a coisa por esse lado. Sou negra e particularmente não vi nada de preconceito no comportamento das pessoas que vaiaram e até pediram para o Seu Jorge cantar. Vamos ao outro lado dos fatos, o lado de quem estava na arquibancada, desde as 22:00 horas esperando pela apresentação do cantor:
fato 1 – Não me considero careta, mas talvez o seja, por que considero que ser internacionalmente conhecido não dá direito a nenhum cantor independente de raça e cor de entrar no palco de óculos escuros, ficar fumando e bebendo cerveja, e sumir várias vezes no escuro no palco atrás da banda, banda essa excepcional que me lembrou várias vezes a Vitória Régia, que acompanhava o Tim Maia, que todos sabem que apesar do grande talento se mostrava um irresponsável perante ao seu público.
Fato 2 – Conheço o talento do Seu Jorge por isso fui ao show, e sei que ele não é só cantor, é também um excelente ator, e o monólogo dele, juntamente com a sua representação, teria sido um espetáculo para se aplaudir de pé se estivéssemos num lugar com uma acústica melhor. Não sei onde o autor do texto estava localizado no show, mas a grande maioria que estava na arquibancada não conseguiu entender bulhufas do que ele estava falando. Só para as pessoas entenderem, imagine ir num show aqui no Brasil de uma banda internacional, por exemplo: Rolling Stones, ou The Police, e o Mick Jeger ou o Sting, simplesmente parasse de cantar e ficasse quase vinte minutos falando coisas em inglês sem ninguém entender nada, com certeza as pessoas por mais fãs que fossem ficariam perplexas e se manifestariam de alguma forma... e foi isso que as pessoas fizeram, não fiz parte do coro, mas fiquei muito constrangida com a situação... e para piorar no meio daquela saia justa entra uma cantora cantando em inglês, aí a casa caiu... naquele momento percebi que o cantor havia perdido a platéia, e que a platéia havia perdido o cantor...
Fato 3 – O Seu Jorge mudou depois do acontecido, ele esfriou, e a platéia também... o autor fez uma crítica ao comportamento do público, eu faço uma crítica ao comportamento do artista, achei o arrogante, chegar onde ele chegou é um mérito, mas para permanecer onde ele está vai precisar mais que isso, ele vai precisar de competência para não esquecer as origens, e entenda-se como não esquecer as origens não o simples ato de glorificar o Joaquim Barbosa, um negro, que fez o certo, poderia ser branco e deveria ser glorificado da mesma forma. Ele tem que fazer mais shows com preços populares, e principalmente saber ouvir imparcialmente, saber se colocar no lugar das pessoas que pagam para assisti-lo.

Borracha Livre disse...

Aqueles que vaiam um artista por preconceito e intolerância, são os mesmos que se perguntam pra que índio quer tanta terra, os mesmos que se prendem apenas a lamber seu próprio umbigo.

Gabriel disse...

O branco drama existe sim, ó: http://www.youtube.com/watch?v=DPmtjJfO_nA

Guilherme Tavares disse...

http://ininventavel.blogspot.com.br/2012/10/ze-do-caroco.html cara, fiz um texto com algumas frases do show, mas transformei numa simples conversa de bar. quem puder dar uma olhada agradeceria

Helena Piombini disse...

Uma amiga me mandou esse texto p q eu pudesse ler, disse q ao lê-lo se lembrou de mim.. n sei se por minha admiração pelo artista ou pela forma como me posiciono perante o mundo..

de fato é lamentável tal acontecimento, mas algo q tenho aprendido é observar quem pode somar esforços.. é claro q n é fácil, mas observe o número de pessoas q se manifestaram.. de pessoas q leram seu relato.. eu q n o conheço o fiz, fiz por uma criticidade, por ao ler me perguntar como existe pessoas ainda c um pensamento tão conservador..

quero expressar o meu desejo de q vc n seja tão pessimista.. existe mta gente engajada por ai, precisamos é saber como articular isso!
Espero q as pessoas possam ser mais conscientes e menos individualistas.. e espero ver isso em vida..

Boa sorte, fé e luta!

Cris Oliveira Negracrica disse...

Também fiquei chateada, tanta gente lutando pelo negro, pelo movimento negro, pelo reconhecimento do negro em todos os setores deste País. Tanta gente se dizendo 'não racista', sorrindo e batendo nas costas do negro, abrindo as suas portas largas de suas casas brancas. Tanta gente distribuindo falsidade como se fosse gentileza. Tanta gente engolindo....o negro......Mas lá no fundo ou seria na superfície mesmo? ESTE PAÍS É MUITO RACISTA. E para a grande maioria o negro continua sendo negro.

Flav disse...

Eu estive no show. E, concordo com o que escreveram Elisabeth Maia e DJ Jorginho, nos comentários. O show todo foi um erro. A casa estava abarrotada, superlotada, pessoas que não paravam quietas, bêbadas. Dava para sentir os ânimos alterados.
Lá em cima, da arquibancada, onde eu estava com meu marido, não deu para ouvir metade do texto que Seu Jorge recitou. O som não ajudou e a própria voz do artista, que tem um tom muito grave e, por vezes, fala "para dentro". Confesso que fiquei, sim, impaciente com o texto que parecia não acabar nunca e que eu não conseguia entender. Acho que várias pessoas se viram na mesma situação.
Eu não sou preconceituosa, não sou racista, não penso que o problema dos outros não tem nada a ver comigo. Estou há muito tempo ciente do passado de dificuldade e pobreza do artista Seu Jorge, e o respeito por isso. Sim, um show pode ser um local para conscientização e protesto, concordo totalmente, eu não vou a um show só para cantar e dançar, quero ser tocada, de alguma forma. Mas o artista tem que ter também noção, "timing". Ficar cerca de dez minutos falando no meio de um show é meio falta de noção dele, sim! Por que ele mesmo não compõe um texto transmitindo a mesma idéia, só que de forma mais suscinta?
Engraçado... O Seu Jorge só se casa e só namora com mulheres brancas e ninguém acha que ele é racista... Quando ele canta Burguesinha, ou quando ele fala em outra música "se fosse mulher feia tava tudo certo", também ninguém diz que ele tem preconceito com moças bem nascidas e com moças desprovidas de atributos...
O artista está a serviço do povo, e não o oposto!
E acho que o dono deste blog foi um tanto presunçoso ao escrever que "Os sentimentos preconceituosos estavam tão evidenciados, que eu consegui ler as mentes. Sabe aquela nuvenzinha branca das animações que relatam os pensamentos? Pois então, elas estavam visíveis para mim". Menos, amigo, menos...
Apesar de respeitar o passado difícil de Seu Jorge, acho as letras das músicas dele pobres, pronto, falei.
Eu não queria ir ao show, a verdade é essa. Caí lá de "pára-quedas", levada pelo meu marido e um casal de amigos. Não era meu desejo estar ali, mas resolvi dar uma chance ao show e ao artista. Me arrependi de ter ido e certamente não repetirei a dose.

Flav disse...

Mardeomi escreveu o que eu queria escrever! Obrigada, Mardeomi!

Flav disse...

E eu não vaiei a cantora de jazz que participou do show

watching the wheels disse...

Seu Jorge é uma pessoa culta e inteligente, pena que sua música não é. O público que ouve Seu Jorge é tão ignorante quanto sua música.
Suas músicas "críticas" são observações óbvias, não há nada de inteligente nelas.
Assim sendo o platéia estava lá para ser alienada, não para Seu Jorge desabafar todo seu lado cult. Não houve racismos nenhum, só ignorância, que é o que vende.

Nara C Marques Mello disse...

Como disse Caetano em 1968, no III Festival Internacional da Canção, se o público de Seu Jorge, for em política, como são em estética, estamos feitos! Ou seja, o público/júri é “muito simpático, mas é incompetente.”
E mais uma vez, como dito em 1968:
“São a mesma juventude que vão sempre, sempre, matar amanhã o velhote inimigo que morreu ontem? Vocês não estão entendendo nada, nada, nada, absolutamente nada.” !!!!!!!!!!!!!!!

Saulo disse...

Talvez as pessoas que pagam R$140,00 no ingresso praticado pela Fundição queiram ouvir "A mina do meu condomínio".
São as escolhas de cada um e o Seu Jorge vem escolhendo bem seu público brasileiro.
Não me lembro de ter visto ele tocar por muito menos que isso por aqui, enquanto um show dele em Londres me custou 1/3 disso e nem faz tanto tempo assim.
Concordo com tudo o que foi dito aqui e nada justifica a atitude de vaia do público, só estou ressaltando as escolhas que Seu Jorge vem fazendo em sua carreira. Infelizmente, par ao público brasileiro, a vontade do artista de praticar lucros máximos não combina com a vontade de abordar política.
E não estou falando só de preços de ingressos, pois isso é de responsabilidade da produção, mas se você comparar musicalmente "Cru" com o que ele faz hoje, fica claro que tipo de retorno ele pretende obter...
O preço é esse: público superficial para música superficial!

Jade Amorim Galindo disse...

É por essas e outras que eu grito: cotas neles! E acrescento: vamos expor as vísceras desse país, que se gaba de não ser racista. Hein?? Vamos expor nossas mazelas e, aí sim, esse país será decente de verdade um dia, e que estejamos vivos vara ver o sol nascer nele.

Thiago Diniz disse...

Como faz pra curtir o comentário logo acima, do Saulo? Pode ser que sim, mas duvido muito que isso aconteceria num Terreirão do Samba da vida. Não digo nem em uma quadra de escolas de samba, pois hoje em dia, os frequentadores em sua grande maioria, são os mesmos do episódio ocorrido na fundição.
A velha máxima: quantidade não é qualidade.

MARIA CRISTINA Bernadete disse...

Parabéns, parabéns e outro parabéns por ter coragem de se expressar e dizer o que muitos tem vontade " E gente estúpida e gente ipócrita"

Micheline Fernandes disse...

Parabéns Bruno pelo belíssimo texto!! Infelizmente nosso querido Seu Jorge foi mais uma vítima da violência da ideologia racista que vive e pulsa há muito no nosso Brasil. É que para essas pessoas existe "um lugar" reservado ao negro que deve entreter, divertir,serviço de animação sabe? Que está proibido de se posicionar criticamente, proibido de pensar sobre a sua própria condição e de seus assemelhados. Que os Negros Dramas continuem a ecoar sua poesia, realidade, inquietações,ocupando mais e mais os espaços de poder que historicamente lhes foram negados!!

Valter AZKZero disse...

Uuma pena dizer mas, você está 110% certo!!! Parabéns pela indginação!!! E viva a nação alienada dos anos 90 e 2000 que refletem a mediocridade de hoje em nosso país!!! Também estou sem esperanças por conta do que vejo e só enxergo uma radical transformação da natureza para sensibilizar alguns e mudar tudo isso!!!!

LuCci Sousa Cruz disse...

"O Renato Russo sempre cantou "QUE PAIS É ESTE?!?!" Estamos num século onde as pessoas não repassam o singelo RESPEITO uns aos outros, o que dirá aos negros guerreiros, fortes na luta da vida e sofridos como Seu Jorge e demais cidadãos Brasileiros. Bem verdade que cada um sabe de sua própria dor e renúncia. Um salve mais que merecido a postura profissional do grande Jorge Mario Da Silva em sua apresentação no Rio de Janeiro-Lapa no último fds, que assim como, várias pessoas sofrem até hoje o peso do preconceito pulsante a cada geração...Tal atitude do público pagante do seu show "fãs ou não" faz por merecer vergonha e desprezo. Que sirva de LIÇÃO pra todos. E como diz o Negro-Drama "O dinheiro tira um homem da miséria, Mas não pode arrancar, De dentro dele, A Favela".

Lito Cordeiro disse...

Fazer o quê, o público dele é burguesinho, para eles que ele canta...

Elias Sanches disse...

Morei na Lapa, nos anos 80. Frequentava os bares, restaurantes e pé-sujos do local. Mudei para a Baixada. Voltei a frequentar a Lapa no início do movimento de revitalização do samba no bairro. A boemia local ainda estava lá. Depois, a Lapa virou moda e se transformou em reduto de mauricinhos e patricinhas que não tinham a mínima idéia do que significava o bairro e o movimento cultural de resistência que havia por lá. De certa forma, foi bom para os músicos, que passaram a ganhar mais dinheiro. Mas a Lapa deixou de ser a Lapa. O público que frequentava o bairro e que teria condições de entender/sentir "Negro drama", foi expulso de lá pela adaptação dos preços dos bares/botecos/restaurantes ao nível de renda do novo público. Lamentável tudo isso.

Unknown disse...

Como sou brasileiro e ñ desisto nunca, ainda tenho fé nessa "raça", o chamado brasileiro, afinal quem compôs esse tão bem escrito/sentido/pensando texto, o é! Parabéns. Somos poucos, mas existimos para fazer a diferença, assim como vc fez aqui!

Houston disse...

Primeiramente parabéns pelo texto, simplesmente relatando os fatos que infelizmente é a grande realidade brasileira, o povo é alienado a tal ponto que quando lhe é dado a oportunidade de ouvir algo com conteúdo diferente do que ele sempre procura, simplesmente se fecha e infelizmente age de maneiras deploráveis.
O segundo ponto é o argumento dos que estavam no show e tentam defender tal atitude, se você estava em um local onde não conseguia escutar direto o que estava sendo dito, isso te dá o direito de vaiar alguém?
Acho que o respeito com o artista, independente de sua cor, é o minimo que se espera.
As alegações que ele não faz shows baratos e que o próprio age e tem letras preconceituas são argumentos tão fracos que nem deveriam ser ditos, existe maior preconceito do que falar que um cara negro é racista por só namorar e casar com mulheres brancas? Ele seria racista se não aceitasse se relacionar com uma pessoa só por causa da cor de pele dela.
Cobrar caro em um show é mais q natural para o artista, afinal ninguém aqui paga suas contas, logo ele tem que se sustentar e não é por que o mesmo foi pobre que ele tem que ser pobre o resto da vida, é triste ver que pessoas ainda acham que quando uma pessoa consegue algo na vida ela perdeu suas origens, se ela conseguiu foi mérito dela e nada mais louvável que o próprio poder usufruir desta conquista.
E mais uma vez, não é por que a pessoa foi pobre e sofreu que o mesmo só tem que falar disso o resto de sua vida, ele canta a parte boa da vida, sabe fazer as pessoas se divertirem com suas musicas, que por acaso são milhares de vezes mais bem feitos do que os top 10 atuais.
O ponto de tudo é a ignorância, criticar é muito simples, mas falar algo relevante ninguém quer.

Renato L d Santos disse...

sério que não pode vaiar um negro, virou preconceito agora? em nenhum momento o texto registra ofensas a cor da pele dele.
a pessoa pagou o ingresso, tem direito de vaiar. não pode ofender, agredir, mas vaiar não e nem ofensa nem agressão. menos mimimi...

Ruyz disse...

Algumas pessoas como o Renato L d Santos citando aqui acima, mostra que nem lendo um texto claro e sem milindres, algumas pessoas entendem apenas oque querem.....
Tentarei explicar então.
Vc pode pagar para ir a um show sem ser ofensivo ou sem destruir a tematica do show que esta acontecendo. Isso se chama respeito, não esta satisfeito, levanta e vai embora. Além disso a premissa não é poder ou não vaiar um artista negro, e sim entender que o artista não vai apenas tocar as musicas que vc quer ouvir ou que estão na moda tocando na radio. Se vc quiser isso, compre o cd ou escute nas radios on line.
A vaia é por si só uma agressão, e como disse o texto, não foi a vontade da grande maioria.
Foi sim uma minoria com pensamento pequeno burguês, que conta moedas e se sente alguem importante ao humilhar um inferior.

[SPFC] Arabian disse...

Pode parar, Renato L d Santos. É muito diferente ler um texto na internet e estar no lugar onde o fato se dá. E mesmo assim, por esse relato dá pra ver que rolou ignorância de parte do público. Afinal, quando o negão tava cantando som dançante, tava de boa. Quando ele começou a cantar protesto, aí já vieram tacar merda, já vieram vaiar. Já vieram desrespeitar. Como diz um amigo (o qual é branco e de classe média, veja só!), "só não tem racismo quando o negro ou índio está quieto e submisso. Veja o que acontece quando um se levanta e protesta." E está certo. Sempre tem um querendo se fazer de fodão na internet, e sempre no melhor estilo "Orgulho de ser hétero". (tipo, POR QUÊ? É muito esforço?).

Raqueus disse...

um otimo texto ...concordo com teu posicionamento. vi alguns comentarios contrarios .. claro, ninguem eh obrigado a concordar e gostar daquilo que lhe eh apresentado. mas ha uma enorme diferenca entre nao gostar e nao respeitar. falta de respeito eh o fim!! o minimo q a humanidade necessita para progredir eh o respeito ao proximo, respeito ao meio ambiente, respeito pelos animais... respeito a nos mesmos.

Unknown disse...

Nossa...indgnante...
Parabéns pelo texto...
Só lamentos para a ignorância de alguns...

MATHEUS disse...

Parabéns pelo seu blog e pelas suas sabias palavras. Enfim, você tem um pleno conhecimento sobre o que se passa...

M. Lourenço disse...

Renato L d Santos, se a vaia fosse apenas sinal de desagrado musical (e tu podes interpretar assim se quiseres te auto-enganar) talvez não fosse ofensiva, mas é preciso ser muito ingênuo para não perceber que era mais que desaprovação estética, era desprezo pela voz do outro, quando esse outro ameaça a tua posição confortável. Então, no fundo, o "mimimi" é teu, que quer preservar o tal direito de vaiar ainda que isso signifique silenciar o que o outro tem para dizer, quer a música, mas sem o protesto, ou como diria Criolo: "morango só é bom com a preta de lado".

Newton disse...

Eu fui num show do seu jorge a pouco tempo nos Arcos da Lapa, de graça e o público foi nota 10. Cantou, dançou... E na hora do negro drama, muitos declamaram os versos juntos com o Seu Jorge. E outros apenas ouviram. Nenhuma vaia do início ao fim. E o Seu Jorge foi sensacional, do início ao fim ele esteve empolgado.

Não dá pra generalizar o público carioca ou brasileiro. Babacas existem em todos os lugares. Mas me compadeço com sua revolta. Muito bem escrito o texto. Parabéns.

Tati Cristina disse...

Estou muito impressionada com a reação da galera no show! nossa! gente, muita falta de respeito!! Eu não gosto de RAP, sou Sulmatogrossense, sim, da terra que Michel Teló renega, já que ele não nasceu aqui, mas cresceu aqui, e eu NÃO GOSTO DE SERTANEJO, mas nem por isso saio xingando quem gosta, uai, quem me deu esse direito?! ninguém, então devo respeitar aos outros, ainda mais se quero ser respeitada! Aqui(no MS) o povo também é alienado, não só aqui, no mundo todo, as pessoas perderam o censo crítico, dizem o que acham que está certo sem pensar, não há um filtro entre o cérebro e a boca! mas o maior preconceito aqui não são os negros quem sofre não, são os índios, nossos nativos quem mais sofrem aqui, são tratados como lixo, escória da sociedade mesmo, e eu acho absurdo! Meu cabelo crespo não impressiona tanto quanto uma morena de cabelos lisos que fala uma mistura de guarani com português! fico pasma com tanto preconceito com o é diferente de nós, só diferente, nem pior e nem melhor! #SouNegraeGuaraniKaiwoá!

Claudia Baptista disse...

essa gente é de dar pena, estão vazios e completamente confusos. tem coisa mais confusa que pagar pra assistir um artista e depois vaiar só porque ele fez algo diferente do que você espera? tem noção da limitação do mundo dessa pessoa e de como ela é facilmente irritável? agora imagina essa gente se relacionando por aí? eu perdi minhas esperanças, sinceramente... tudo que eu posso fazer é pedir pra Deus que eu nunca tenha que conviver com gente assim ou pise sem querer no pé de alguma. também acho que isso não tem jeito e é falta de um NÃO bem grande na infancia, por isso essa falta de limite, respeito e esse mundo confuso. enfim, a vida ensina...

filmes disse...

E NAO TEVE NENHUM CIDADAO BRASILEIRO NO SHOW PARA APLAUDIR QUANDO O PUBLICO SE CALOU,EU GRITARIA SEM PARAR NEGO DRAMA MESMO EU SENDO BRANCO,PQ TEMOS Q DESCRIMINAR O RACISMO,SE FOSSE O SEU JORGE,DEPOIS DESSA DECLAMAÇÃO,FALARIA
VAMOS VOLTAR A CANTAR PLAYBOYZADAAAA!!!

Luiz Rocha disse...

Em Agosto de 1990 eu estava no Mineirinho, em BH, assistindo o show do Legiao Urbana quando Renato Russo declamou que a bandeira dos espectadores era amarela, e a dele era rosa choque (numa atitude de vir a assumir que era gay).
Vai que um menos esclarecido atirou um sapato de muito longe, la do meio da plateia e, como num passe de magica e de extrema pontaria, o sapato veio a atingir o rosto de Renato Russo. A materia pode ser facilmente confirmada via pesquisa no Google.
Renato Russo fez uma mencao em parar com o show mas, numa atitude de extremo brilhantismo, nao so continuou o show como tambem colocou uma carga extra de energia na sua musica o que consequentemente foi transmitido para o publico levando a galera ao extremo.
O que quero dizer com isso e' que Seu Jorge, como muitos outros negros, como tambem o resto da plateia, deixaram-se abater por causa da atitude de alguns babacas e, no final da fritada dos ovos, pagaram-se os justos pelos pecadores, pois pelo que li o show caiu de producao. Eu nao estava la pra ver.
Quem estava no show do Mineirinho lembrara para sempre.
Meter o pau depois do fato acontecer e' uma coisa, por tras da tela de um computador e' a atitude global da epoca. Precisamos mesmo eh ter coragem de enfrentar ao vivo, na hora. Como nos velhos tempos.

Tete disse...

Estive nesse show e até agora estou pensando em tudo o que aconteceu.
Acho que o erro aí não foi só do público. É muito fácil generalizar como ignorância.
Não sou racista e/ou ignorante. Conheço a história de Seu Jorge. Já fui a lugares só pra ouvi-lo falar. Tenho verdadeiro respeito por sua superação e tudo que conquistou.
Essa foi a 1ª vez que assisti seu show da 2ª fileira, na cara do palco, e assim como vários relatos aqui não consegui entender o que ele falava. Fiquei 20 minutos tentando ler os lábios, as expressões do rosto, gestos. Tudo em vão.
Não vaiei porque a minha "política" em demonstrar que não gosto é simplesmente não aplaudir. E fiz isso.
Não vi a vaia como um ato preconceituoso. Acho praticamente impossível que a maioria do público presente tenha conseguido entender o que foi dito. Simplesmente não dava.
Por mais que não concorde com esse tipo de manifestação acredito que uma parte do público o fez porque ficar em pé no calor, num lugar lotado, sem entender o que é dito é um teste de paciência. Antes das vaias dava pra ver e sentir, prestando atenção em que estava perto do palco, que o declamar não estava dando certo.
Show é feito de troca. E cabe também ao artista sentir e saber a hora de parar, de dosar, mexer no roteiro.
Criticar quem vai ao show pra dançar e cantar chega a ser ridículo. Pelo que me conste é isso que o Seu Jorge tá vendendo ultimamente - no cd Músicas pra churrasco não tem nenhuma letra mais profunda.
O artista proclamar valores, expressar opinião, apresentar novos talentos é louvável e super válido. Agora saber a hora e de que forma fazer isso também. A acústica da Fundição é e sempre será péssima. Será que não testaram na passagem de som se o “Negro Drama” seria audível?
Continuo sendo fã e admiradora do Seu Jorge, mas esse show mexeu profundamente comigo. A ponto de sair de lá declarando que se pudesse pediria meu dinheiro de volta.
Continuo revivendo o que aconteceu: converso com quem foi, leio relatos, avalio os pontos de vistas e confirmo que nada é uma via de mão única. Se o público errou, o artista também errou .E isso nada tem a ver com preconceito.

Clarisse Reis disse...

Muito bom o texto! Também estou mais fã de Seu Jorge depois deste tapa de luva na cara dessa massa mal informada!
Salve Jorge!

Henrique Eldinias disse...

Muito bom seu texto. Apoio muito as causas dos negros. Mas temos que ser críticos também com a atitude do cantor. Acho (eu) que ele deve ser mais coerente. Se a gente levar ao pé da letra, a gente vai ver que ele faz anúncio de grandes empresas - carros, bebidas etc. Essas empresas são milionárias, massacram o negro que vive na viela e no beco. Como? O Governo não cansa de conceder alívio nos impostos para essas empresas, das multinacionais que vêm lá do EUA. O Governo entrega centenas de milhares de metros quadrado de terra à essas empresas. Impostos que deveriam ser cobrados bem caros para beneficiar o povo da favela. Terras que deveriam ser distribuídas. E o Seu Jorge tá lá fazendo o anúncio da montadora de automóveis e da Coca-Cola que vêm ao Brasil sugar o nosso sangue. Vamos parar de hipocrisia! Isso para dizer o mínimo! Abs

angela oliveira disse...

Lindo, lindo texto !!!

Seu Jorge e Racionais, são para poucos, talvez o Brown discorde, mais eu e muita gente ainda acha....., vivemos em um lugar racista e nunca vai deixar de ser, sem cultura, estamos rodeados de playboys, racistas, gente sem noção, gente que é mais um numero, quantidade, um monte de nada. É esse povo que não tem o que fazer e vai no show errado, entraram no lugar errado, talvez estivessem esperando mesmo um show tipo “ai se eu te pego” ..... é Seu Jorge você bateu no peito e segurou a bronca, outro no seu lugar teria se retirado do palco, você não se intimidou, você é a cara do nosso povo – corajoso que não desiste da luta, parabéns .
Brown é um poeta – negro drama vai ser eterno, pra nós que fomos tão discriminados, injustiçados, que temos cultura e educação. Foi ouvindo racionais que me dei conta de como somos fortes. Obrigada Brown, Racionais, Seu Jorge

koelho disse...

Cara, eu fui num show desse grande artista em Caxias - RS, terra de imigrantes, principalmente italianos.
Foi um show realmente muito bom. E o público no momento da declamação fez um silêncio tal, como que pra sentir junto o sofrimento do seu jorge e o desabafo daquelas palavras, porque tem tudo a ver com a história dele.
Foi demais. Ele foi muito aclamado naquela noite. Não tem a ver com branquelice, ou sei lá o que. Tem a ver com respeito, com empatia, com educação.
Po, sem falar que os shows do Seu Jorge são sempre legais.

Isa disse...

palavras perfeitas!

Melissa Rodrigues disse...

O problema é que as pessoas pensam que ele só canta "Burguesinha" e "Mina do Condomínio" porque são as músicas das rádios que tocam junto com Michel Teló e o resto.......mas poucas são as pessoas que sabem reconhecer o artista que ele é e como ele contribui com a sua MÚSICA....e nessas horas me orgulho do meu filho de 6 anos, pois ele já sabe a diferença entre Seu Jorge e Michel Teló

Ana Cristina Schio disse...

eu acredito que aquelas vaias não tiveram nada haver com racismo ou preconceito e sim com ignorancia e falta de cultura, as pessoas não sabem mais ouvir, não tem mais educação, ele podia recitar Camões ou falar de politica q ele seria vaiado, as pessoas queriam apenas diversão,e se recusam a ouvir qualquer coisa q as façam pensar, não sabem ouvir, se recusam a pensar e a intolerancia é geral, como vc disse no texto os versos de Michel teló são mais simples, .....

Sandra A F Camargo disse...

"No Brasil vivemos uma perfeita democracia racial. Respeitamos e valorizamos a nossa multiculturalidade." Quem afirma isso? Infelizmente a hipocrisia é um habito comum nesse país! Quero refletir sobre esse vergonhoso e lamentável acontecimento, junto a algumas pessoas que afirmam que não há preconceito ou discriminação racial em nosso país. Talvez se o cantor a declamar a real letra da musica “Negro Drama” tivesse a pele branca, cabelos lisos e olhos azuis; ou talvez só a cor da pele sendo branca; não teria sido vaiado e totalmente desrespeitado ao realizar seu trabalho. O público simplesmente aplaudiria, pois ele estaria apenas cantando uma música pertencente a uma cultura diferente, talvez! Ah, o que eu estou dizendo? Imagine! O meu desabafo é meramente complexo de negro. Ou melhor, de negra!

Sandra A F Camargo disse...

Salve Jorge! Excelente profissional. Talento inigualável. Trajetória lindíssima, respeitável e invejável. Homem negro, guerreiro, íntegro e simplesmente lindo! E os filhinhos de papai que vaiaram esse grande artista? pipipipipipipipipipi shpshpgttttxxxxxxxxxx...

Núbia F Ribeiro disse...

Lamentável o ocorrido! Belíssimo o texto de desagravo.E, Seu Jorge, parabéns pelo trabalho, tua arte, tua poesia nos colocam em patamar elevado de qualidade humana.

each case disse...

Lamentável o ocorrido. Parabéns pelo manifesto.
Infelizmente isso é resultado da falta de cultura generalizada no país.

Unknown disse...

Lamentável o ocorrido. Mas, sinceramente, qualquer poesia recitada seria recebida com vaias. Seu Jorge construiu esse público para seus shows solo, é povão ignorante e cabeça fechada mesmo. Então trate de fazer um show apenas com músicas pop pra esse público e segure a declamação de nego drama (sensacional, diga-se de passagem), para outras mídias e situações.

É triste que tenhamos um povo assim, mas acho que, nesse caso, a manifestação imbecil não teve a ver com o conteúdo do que foi declamado, e sim com o fato de ter declamado.

Danielle Oliveira disse...

A ignorância cega. Vemos isso a todo tempo... Em setembro do ano passado tive o prazer de conhecer o Jorge Mário (vulgo Seu Jorge), por coincidência foi em um show dele na Fundição Progresso, depois de tempos fora do Brasil. O show dele supriu as minhas expectativas e nitidamente todos estavam gostando. Acho completamente desnecessário pessoas irem a um show onde eles não respeitam o artista, por que pagar para assisti-lo então ?
Em novembro do ano passado, o mesmo Jorge que foi vaiado (no dia 27.10.2012), foi aplaudido de pé por pessoas que vieram do mesmo lugar que ele; por pessoas que vieram de lugares piores; por pessoas que vieram de lugares melhores; por Caetano Veloso (que estava literalmente encostado no palco); por Regina Casé (que estava com sua família no meio da multidão); por Sandra de Sá, Tony Garrido, Mart'nália, e muitos outros artistas que lutam a favor da igualdade e do respeito. Eu fiquei impressionada com o mega show que ele conseguiu fazer (muitos vão dizer que ele só conseguiu reunir tanta gente porque o show foi de graça), mas que nada. Quem tava ali, sabia a importância de estar ali. Cantando, dançando e mais ainda, entendo porque dia 20 de novembro é feriado (feriado esse que muita gente aproveita para viajar mas nem sabe do que se trata o feriado). É melhor eu parar por aqui, mas enfim, Seu Jorge é o cara !

Doca disse...

Bom, não sou muito blogueiro, mas este texto tenho de comentar...

Doca disse...

Caro Bruno. Seu texto é muito bem escrito e parabens pela autoria. Mas em relação ao conteúdo, a essência da causa, talvez você e os nobres companheiros que comentaram possam não ter conhecimento ou visão de um determinado foco ou ponto de vista. Eu não fui neste show, primeiramente por que jamais pagaria um preço destes para assistir o Seu Jorge. Fiquei sabendo deste fato por aqui, pois uma amiga minha postou seu texto no FB. Moro em Santa Teresa desde que nasci. Vi muita gente passar por lá. Vi o Faroca Carioca grupo da onde o seu Jorge surgiu, tocar nos bares do bairro e passar o chapéu. Nauqela época, Seu Jorge tinha um discurso que vai totalmente contra o que ele faz hoje. O discurso contra as grande gravadoras e as idéias de socialização da música vão totalmente contra ao comportamento que ele toma hoje em dia. O Seu Jorge passou sufoco na vida sim. Mas não por que é negro. Ele tem seu valor sim, tem uma voz realmente marcante e rara. Muito bom cantor. Mas infelizmente ele foi fagocitado pelo sistema e hoje repete a globalicionismo de todos os outros. Na conversa e no papo de fâ conhecer ídolo, pode ser um cara muito maneiro, não tenho dúvidas. Só que virou um mercenário; tira esta pinta de pobrezinho, mas sacaneu muita gente, inclusive seus amigos da banda onde surgiu.

Doca disse...

Seu Jorge hoje é um grande palhaço social, que faz parte da máfia de pagar Jabá para as rádios tocarem a música dele. E com o discurso que ele mandou após as vaias confirmam o seu merecimento. Apesar de parecer que as vaias não tem nenhum sentido racial. O grande problema do racismo é a cultura anti-racista ortodoxa, que se enquadra no anti-branco. Quando ele fala o lance dos brancos que têm faculdade, ele passa a ser o mais racista. Quando ele fala "que tinha que ser um negão para fazer um barulho destes", ele passa a ser o mais racista. Tinha que ser alguém lutador e com espírito de justiça e vencedor dos obstáculos da miséria e da probraza deste país, independente da cor! Não tinha que ser preto ou branco. Será que estou conseguindo me fazer entender? Todos tem seu valor, como o juiz negro ou o candidato a prefeito que infelizmente perdeu, que é branco! Em relação a vaia que surgiu com a outra cantora, talvez não tenha sentido mesmo. Mas, se alguém não gosta de jazz, e não gostou gostou da cantora é diretio da pessoa. Independente de quanto pagou. Ela não é acéfala por isso. Eu amo Jazz. Mas sei que alguns podem não gostar. O importante não é o que vc gosta. Mas o quanto é sincero. Tenho um casal de amigos, onde o cara é bem negro de dread. A menina é bem, bem branca. Fazem um casal bonito pela mistura de raças. Claro que eles sofrem preconceitos. Mas, segundo eles, o preconcieto mais visível é nos lugares negros. Nos eventos de 'orgulho negro', os olhares e repúdios, são muuuuito maiores do que nos lugares onde a maioria é da classe média, onde, por uma questão histórica-social, a maioria é branca.

Doca disse...

Assim, temos que saber identificar o anti-racismo ortodoxo, da qual, pelo que vejo, o Seu Jorge é um representante exemplar. Amo a música e a cultura black, mas sou branco. Para mim, a música de Seu Jorge, faz muito tempo (desde que saiu do Farofa Carioca), não tem qualidade alguma. Ele vem fazendo CDs de mercado, com musiquinha para tocar na rádio, e na novela, falando de balada, que não tem qualidade alguma. O que te fez pagar 60 reais para ver o show dele. Se você gosta, não tem problema algum. Direito seu. É opção, beleza, tranquilo. Mas tem que saber que o cara é um grande hipócrita. E por ele fazer parte do sistema fonográfico de fazer música comercial, ele não difere em nada do Michel Teló. Poucos sabem, mas o Michel Teló é um grande músico, toca acordeon como poucos. Porém, como o Seu Jorge e tantos outros, ele se rendeu a fama e o dinheiro que a indústria fonográfica lhe propôs. Quero ver o Seu Jorge fazer protesto sobre a alienação que a mídia realiza, na Rede Globo, ao vivo, no meio do Domingão do Faustão, como o MV Bill fez.

Doca disse...

Acho que está na hora de a gente parar de atacar as pessoas (mesmo se elas forem 'playboys' alienados) e começar a valorizar o que é genuinamente humanista em sua essência. Cuidado com a fumaça ideológica lançada pelos meios dominantes da comunicação, ela pode estar nublando o pensamento de vocês... Desculpe por qualquer coisa, inclusive pela minha falta de habilidade na escrita, mas estou apenas passando minha visão. Boa reflexão a todos!

Mirna Marino Duarte disse...

Bruno, que texto lindo, querido!
Estive lamentando de não poder ir ao show do Jorge neste dia, ainda bem que não fui!!! Teria virado, de certo, um cadáver nas páginas do jornal do dia seguinte, porque iria partir para agressão! Sou muito fã de Seu Jorge, muito mesmo! O show que ele fez aqui na minha cidade, Petrópolis, no dia do aniversário dela, dia 16 de março, foi gratuito, no Parque de Exposições de Itaipava, estava lotado, chovia, havia lama, e este momento de Negro Drama foi declamado junto ao público; negros, brancos, mestiços, eu, todos nós declamando a poesia dos Racionais Mc`s, cara! E quem não conhecia a letra apenas ficou ali, quieto, a escutar! E foi um dos melhores shows de toda a minha vida!!! Seu Jorge tem uma energia sem igual no palco, infelizes cariocas na Lapa, que perderam tudo isso! E, de certo, magoaram o artista, que estava na sua casa, no seu Rio de Janeiro, pertinho das ruas que passou um tempão de sua vida a sonhar com um momento desses; talvez eu tivesse partido para a agressão das pessoas que o vaiavam, acéfalas! O que esperar de uma cidade que elege EDUARDO PAES em 1-o turno? O que? ....

Daniel Martorelli disse...

Palavras certeiras, Bruno.

Mas gostaria de fazer uns contrapontos.

O problema, Bruno, é que o público que é indiferente e comete repulsas a "Negro Drama" é o que quer ouvir "Músicas para tocar no churrasco". Seu Jorge, todos sabemos, é um artista do caralho.

Surge com toda aquela genialidade que todos nós precisamos, sempre. Um grande artista!

E surge tempos depois para turbinar as vendagens das grandes gravadoras. "É isso aí", Bruno.

Aqueles que foram à Fundição assistir Seu Jorge talvez não soubessem que ele é mais completo e complexo enquanto artista do que a vida de qualquer "Burguesinha".

Vera B disse...

Eu também achei absurdo ele ter dito "tinha que ser um negão" sobre o Joaquim Barbosa. O que é isso? Por que tinha que ser um negão?? Que preconceito é esse??!!
Só por isso, merecia muita vaia!

Gall Ravacche disse...

Chocada com a "alienação carioca". e mais fã do Seu Jorge.

Eduarda Conceição disse...

Parabéns pelo seu talento de transmitir informações e sentimentos...vou começar citando um dos meus mestres: "Acredito na liberdade para todos não apenas para os negros."
Bob Marley, falo em liberdade para todos pois tenho pena desses que vaiaram, estes estão mais aprisionados do que os muitos negros drama existentes no Brasil e mundo a fora...ao ler esse texto vários sentimentos foram exacerbados embora esses tenham sido os mais diversos possíveis, ao ler seu texto fiquei revoltada, triste, forte, orgulhosa, pessimista...enfim, é triste ratificar que temos pensamentos e atitudes como essas tão enraizadas como o sangue que circula em nossas veias, triste é imaginar que a ideia de que o racismo não existe é latente e implantada a cada dia mais, e isso está dando certo pois, pode ter certeza que algumas pessoas devem achar um exagero seu esse olhar sobre a atitude da platéia desse show, tem muita gente que não deve ver nada de mais nessa vaia, tem muita gente que acha que "preto" se ofende com tudo e até ele mesmo é racista...contudo, fico feliz em pertencer a um país no qual pessoas como você e o Jorge Mário lutam, seja través da música, da arte, da educação do que quer que seja, para que essa realidade seja diferente mesmo nos deparando com atitudes como essas que nos tiram todo o estimulo de continuar a batalha...
E pra terminar Luther King "Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença - nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos, que os homens são criados iguais."

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 224   Recentes› Mais recentes»

Postar um comentário